Reprodução/Twitter São Paulo
Reprodução/Twitter São Paulo

'Molecada' do São Paulo passa em teste de Dorival Junior

Treinador levou 12 jogadores que passaram pela base do clube para jogo com o Coritiba

O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2017 | 20h24

Depois de deixar o risco do rebaixamento para trás, o São Paulo segue se recuperando no Campeonato Brasileiro. Mesmo ainda apresentado oscilações, o time conseguiu arrancar no segundo turno da competição e, com a vitória sobre o Coritiba por 2 a 1, de virada, ainda sonha em conquistar uma vaga em uma competição internacional na próxima temporada. 

+ LANCES: Coritiba x São Paulo

+ São Paulo supera o Coritiba e mantém vivo sonho pela Libertadores

Se a Libertadores ainda é possível, mas improvável pela grande combinação de resultados, uma vaga na Sul-Americana é um objetivo traçado pelo elenco.

+ Tabela: Campeonato Brasileiro 2017

"O time mereceu essa vitória, pois jogamos muito. A molecada correspondeu em campo. Fizemos um pacto de ir atrás da Sul-Americana e vamos correr atrás disso. Vamos tentar salvar o ano", disse Rodrigo Caio.

Além do resultado positivo fora de casa, o técnico Dorival Junior também comemorou a atuação dos jovens jogadores que atuaram no Couto Pereira. Sem contar com peças importantes como Pratto, Hernanes e Petros, o treinador apostou em nomes como Araruna, Shaylon e Brenner. Ao todo, 12 dos 23 convocados para o confronto tiveram passagem pelas categorias de base do clube.

"Hoje estávamos com vários jogadores fora e, de repente, fazemos um jogo desse nível. A gente sente que o São Paulo ganha consistência, maneira de jogar. Independente dos nomes que entrem, isso sim é um passo para a evolução. É disso que precisamos para o ano seguinte", disse Dorival na coletiva após o jogo.

ERRO DA ARBITRAGEM

o São Paulo foi para o intervalo perdendo por 1 a 0 por conta de um erro da arbitragem. Thiago Real bateu a mão na bola em disputa com Edimar. Instruído pela equipe de arbitragem, Anderson Daronco sinalizou pênalti.

O lance, apesar de atrapalhar o time paulista, serviu como motivação na conversa de vestiário, revelou Dorival. "Além das correções, que foram poucas, o principal ponto da conversa foi o seguinte: 'Vamos levar o erro da arbitragem como uma muleta ou vamos mostrar força?'. A equipe teve paciência, criou boas oportunidades e alcançamos uma recuperação merecida em relação ao que foi apresentado".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.