Molina pode desfalcar o Santos diante do Cúcuta

Meia colombiano tenta se recuperar de dores no adutor da coxa esquerda; equipe joga na quinta

Sanches Filho, Especial para O Estado de S. Paulo

06 de maio de 2008 | 18h39

Depois de perder Wesley (suspenso, por expulsão), o Santos pode ficar sem Molina para o jogo de volta das oitavas-de-final com o Cúcuta Deportivo, na noite desta quinta-feira, em Cúcuta, Colômbia. O meia, que por pouco não desfalcou o time na semana passada por causa de um estiramento muscular na coxa direita, agora sente dores no adutor da esquerda. Veja também: Molina pode desfalcar o Santos diante do CúcutaO colombiano participou apenas dos primeiros minutos do coletivo de segunda-feira à tarde, não foi para o campo ontem cedo e só foi incluído na delegação que viajou à noite para Colômbia depois ter uma conversa com o técnico, quando demonstrou vontade de jogar. Se Molina for vetado no teste de vestiário, Rodrigo Tabata será o seu substituto."O time é o do coletivo de segunda-feira. A única ressalva é Molina que sente um desconforto muscular na outra perna [esquerda]", disse Leão, após o treino de dois toques de ontem cedo, no Centro de Treinamento Rei Pelé. Ele confirmou Betão na lateral-direita e a dupla de zaga formada por Fabão e Marcelo, além da entrada de Adriano na vaga de Wesley.No início do coletivo de segunda-feira, Leão observou que alguma coisa estava errada com Molina. Em um lance de ataque dos titulares, a bola caiu no pé esquerdo do meia, que, embora estivesse bem colocado, deixou de finalizar e passou a bola para o lateral Kleber, que chutou de direita e perdeu a oportunidade. A sua explicação foi que sentia dores e estava sem confiança de chutar de esquerda. "Por causa do receio de usar a perna direita na semana passada, ele sobrecarregou a esquerda. Esse é o motivo do problema", diagnosticou Leão.Provavelmente pensando nos três jogos contra o Flamengo - o primeiro, no domingo à noite, na estréia do Brasileiro, e outros dois se confirmar a classificação às quartas-de-final da Libertadores -, Leão determinou que Molina iniciasse tratamento preventivo de fisioterapia imediatamente.Fosse um jogador qualquer, não haveria tamanha preocupação, mas com Molina é diferente. Afinal a espetacular reação do time no Campeonato Paulista e a boa campanha na Libertadores tiveram sempre a presença destacada do colombiano. Tanto que dos últimos 17 jogos, ele ficou fora apenas diante da Ponte Preta, quando Leão poupou alguns titulares, pensando na partida diante do Chivas Guadalajara, no México.Além disso, o meia é o artilheiro santista na Libertadores, com seis gols em sete jogos. "Molina sempre aparece com algum probleminha e não podemos sobrecarregá-lo", finalizou Leão. O técnico até pode começar o jogo com Rodrigo Tabata e deixar Molina no banco para usá-lo se for necessário. Outro jogador que preocupou até a manhã desta terça foi Marcinho Guerreiro. Ao disputar a bola com Renatinho, no coletivo de segunda-feira, o volante foi atingido com um chute na genitália e houve sangramento. Mas, após passar por exames urológicos, o jogador foi liberado para viajar e jogar.ATENÇÃOKleber Pereira contou ontem cedo que após o coletivo de segunda-feira, ele e o centroavante Lima foram até xingados por Leão. "Ele ficou bravo e disse que nos dois temos que pegar os volantes adversários. Mas, não é marcar. É para gente cercar e atrapalhar a saída deles", explicou.SEM REFORÇOSLeão disse ontem que nas conversas com o presidente Marcelo Teixeira não sente a menor possibilidade de o Santos se reforçar para o restante da Libertadores e para o Campeonato Brasileiro. "As dificuldades vão continuar no Nacional."NOVA CHANCECarlinhos pediu nova chance para Leão. Disse que é um outro homem e que vai levar a profissão a serio. O técnico lembrou ao lateral que ele perdeu excelentes oportunidades de se valorizar quando recusou convites do Vitória, Figueirense, Sport e Coritiba, que se sagraram campeões estaduais, no começo do ano. E se depender do técnico, ele será envolvido em alguma negociação ou emprestado.ESPERANDOExplicação para o Santos ter desistido de representar contra o Lokomotiv, de Moscou, na Fifa: os russos ficaram de apresentar uma nova proposta por Rodrigo Souto em julho, na reabertura da janela para transferências internacionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.