Divulgação
Divulgação

Montillo festeja confiança de Muricy Ramalho, mas busca evolução

Após marcar primeiro gol no Santos, meia argentino admite que precisa melhorar atuações

Agência Estado,

12 de março de 2013 | 13h48

SANTOS - Após finalmente marcar o seu primeiro gol com a camisa do Santos no último domingo, quando o time venceu o Atlético Sorocaba por 2 a 1, fora de casa, pelo Campeonato Paulista, o meia Montillo festejou nesta terça-feira o fato de que seguiu contando com a confiança de Muricy Ramalho. O jogador vinha tendo suas atuações questionadas e neste confronto conseguiu fazer jus ao seu potencial. Porém, ele admite que precisa seguir em evolução, até para justificar o alto investimento feito pelo clube da Vila Belmiro para contratá-lo junto ao Cruzeiro para esta temporada.

"Sempre é importante a confiança do treinador. Cheguei como reforço e a confiança do treinador é importante. Agradeço a confiança que ele me dá dentro e fora do campo. Trabalho na semana para dar o melhor. Não foi fácil no começo, mas sei que irá acontecer (uma boa fase), pois o time do Santos é bom e vamos mostrar isso dentro de campo. Ainda não conquistamos nada e esperamos estar ainda melhores", ressaltou o argentino, em entrevista coletiva concedida no CT Rei Pelé.

Montillo diz ter encarado com naturalidade a cobrança por melhores atuações e aposta que será recompensado com o empenho que vem exibindo nos treinos. "Futebol tem essa cobrança quando se joga em time grande, com o investimento que o Santos fez, é normal. Gosto de trabalhar calado. Não quero ser o melhor quando estou em boa fase, nem o pior quando a coisa não acontece. O melhor é estar trabalhando, não é falando à imprensa", pontuou.

O meio-campista também disse não saber se a atuação do último domingo foi a sua melhor com a camisa do Santos e preferiu já focar o duelo de sábado, contra o Guarani, às 18h30, na Vila Belmiro, pela 12.ª rodada do Paulistão. "Quando você não consegue fazer a coisa certa, fica muito chato. Sou muito crítico de mim mesmo. Mas não é por isso que vou deixar de trabalhar. Gosto de melhorar no dia-a-dia, fazer uma grande partida e ver os companheiros felizes, com uma confiança melhor. Sabemos que estamos no caminho certo, estamos chegando e vamos brigar pelo campeonato. Agora o time não pode jogar menos que jogou no domingo. Tem que melhorar a cada jogo", cobrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.