José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Montolivo, um dos intocáveis da seleção italiana

Habilidoso e versátil, craque do Milan só entrou em campo menos do que o volante Pirlo na 'era Prandelli'

Luís Augusto Mônaco - Enviado Especial, O Estado de S. Paulo

19 de junho de 2013 | 08h07

RECIFE - Montolivo não tem status de estrela na seleção italiana como Buffon, Pirlo e Balotelli, mas é um dos homens de confiança de Cesare Prandelli e tem grande importância no sistema de jogo da equipe por sua grande qualidade técnica e capacidade de construir jogo - uma expressão que o treinador adora usar para definir o novo jeito de jogar da Azzurra.

 

Ele é um velho conhecido do treinador, que o dirigiu nas categorias de base da Atalanta numa época em que o clube de Bérgamo (cidade próxima a Milão) era muito forte nas competições entre garotos e também na equipe principal da Fiorentina.

 

Naqueles tempos de Atalanta, Montolivo era o meia mais avançado da equipe, o encarregado de criar jogadas para os atacantes. Mas Prandelli, com seu olho clínico, já sabia que ele podia render bem em outras funções. E agora desfruta dessa versatilidade.

 

Domingo, contra o México, Montolivo formou uma linha de volantes habilidosos com De Rossi e Pirlo e foi muito importante na saída de bola pelo lado esquerdo, além de ter se projetado com perigo várias vezes em triangulações com De Sciglio e Giaccherini.

 

Na seleção de Prandelli já jogou como volante pelo lado, pelo meio e também como meia avançado. Se eventualmente Pirlo não puder jogar, caberá a ele o papel de maestro. E não é qualquer um que pode carregar a responsabilidade de substituir um craque assim.

 

Presença constante

Desde que o treinador assumiu o comando da Azzurra, depois do Mundial de 2010, Montolivo só jogou menos do que Pirlo. Disputou 30 das 38 partidas do ciclo de Cesare Prandelli, 26 delas como titular - o craque da Juventus entrou em campo 33 vezes.

 

A confiança que o treinador tem em seu futebol e a ótima temporada que fez no Milan - recém-chegado ao clube, foi capitão sempre que o veterano Ambrosini (que acaba de deixar o clube ) não estava em campo e teve um desempenho de alto nível - deram muita segurança a Montolivo. E agora, aos 28 anos e em sua quarta competição importante pela seleção principal (esteve na Copa das Confederações de 2009, no Mundial de 2010 e na Eurocopa de 2012), ele tem o reconhecimento dos torcedores e da imprensa como um jogador fundamental para a equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.