Morales volta a jogar na altitude para desafiar veto da Fifa

'Não se deve ter medo da altitude', diz o presidente boliviano em partida realizada em Potosí

Efe

31 de março de 2008 | 18h11

O presidente da Bolívia, Evo Morales, enfrentou novamente o veto da Fifa à realização de jogos na altitude nesta segunda, ao inaugurar a reforma de um campo de futebol situado na região de Potosí, mais de 4.000 metros acima do nível do mar.  Morales, grande fã de futebol, aproveitou seu discurso para criticar a proibição, que suspende jogos em locais acima dos 3.000 metros de altitude.  "Não se deve ter medo da altitude", disse o governante, que luta contra o veto há meses - campanha que ganhou a adesão de ninguém menos que o ex-jogador argentino Diego Maradona, que chegou a disputar um jogo beneficente em La Paz, 3.577 metros acima do nível do mar.  No jogo desta segunda, Morales defendeu o time de funcionários do Governo contra uma equipe de mineiros local - ele chegou a brincar pedindo o reforço de jogadores do Real Potosí, adversário do Cruzeiro na Copa Libertadores deste ano.  A reforma do campo, custeada pela cooperação venezuelana, consistiu na instalação de um piso de grama sintética.  "É obrigação do Estado melhorar os recintos esportivos para que os jovens não caiam no alcoolismo ou outras atividades ilegais, podendo praticar o futebol", afirmou Morales. O presidente, anunciado semana passada como reforço de um clube da segunda divisão boliviana mesmo aos 50 anos, afirmou que "o futebol é integração, mas também é saúde e educação".

Tudo o que sabemos sobre:
Evo MoralesFifa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.