EFE
EFE

Moratti vê progresso em negociação para venda da Inter

Acordo entre presidente do clube nerazzurro e empresário indonésio está próximo de ser selado

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2013 | 15h49

O presidente da Inter de Milão, Massimo Moratti, admitiu nesta quinta-feira que está próximo de vender parte de suas ações do clube para um magnata indonésio. Depois de uma reunião, Moratti afirmou ter dado "um passo adiante" nas negociações que fariam de Erick Thohir, empresário da área de telecomunicações, acionista majoritário da Inter.

"Sim (demos um passo adiante), mas os passos adiante são antes de mais nada do ponto de vista humano. Digamos que nos conhecemos um pouco mais. Valorizo muito o caráter das pessoas com quem me reuni. Para mim é muito importante este ponto", declarou ao site oficial do clube.

Apesar de reconhecer que as negociações estão caminhando para um desfecho positivo, Moratti negou que elas já estejam encerradas, ao contrário do que foi noticiado pela imprensa europeia nesta quinta. De acordo com jornais italianos, o presidente já haveria se comprometido a vender 70% das ações do clube a Thohir.

"Não, propriamente não podemos dizer que chegamos a um acordo. Foi uma ocasião para nos conhecermos um pouco mais. Conhecer também as pessoas que podem ou poderiam entrar com Thohir em um eventual acordo. Serviu mais para nos conhecermos em um modo mais profundo do que para decidir. Não há sequer grandes problemas para resolver", afirmou.

Ainda de acordo com Moratti, os detalhes a serem resolvidos para a venda não dizem respeito a valores. "Os valores são a última coisa no mundo que pode causar problemas. É só que essas coisas estão longe de serem simples. São complicadas. O acordo inteiro poderia ir por terra com um pequeno deslize."

Depois de viver grandes momentos no início dos anos 2000 e chegar ao título da Liga dos Campeões na temporada 2009/2010, a Inter de Milão entrou em uma crise que parece longe do fim e passou a ficar distante da disputa por grandes títulos. Nesta temporada, por exemplo, o time está fora tanto da Liga dos Campeões quanto da Liga Europa e a principal justificativa para o momento é o problema financeiro que o clube atravessa.

Este também seria o principal motivo para que Moratti estivesse disposto a negociar parte de suas ações, o que pode acontecer dentro de um mês, segundo ele próprio. "Se tudo der certo acho que pode, sim (finalizar o acordo em um mês). Mas já havíamos dito isso há cerca de três meses", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.