Eduardo Nicolau/AE
Eduardo Nicolau/AE

Morenão ainda passa por reformas para receber seleção

Funcionários ainda fazem pintura de traves e instalação de mantas de impermeabilização na cobertura

AMANDA ROMANELLI E MARCIUS AZEVEDO, Agência Estado

11 de outubro de 2009 | 20h02

Um estádio que começou 2009 interditado encerrará o ano recebendo craques como Kaká e Luís Fabiano. O Morenão foi transformado em apenas três semanas para ter condições de sediar o jogo entre Brasil e Venezuela, último compromisso do time de Dunga pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo do ano que vem.

Veja também:

especialMAPA - Os países que já garantiram vaga na Copa

especial ELIMINATÓRIAS - Mais no canal especial

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Inaugurado em 1971, o Morenão foi interditado em 2008 por questões de segurança, a pedido da reitoria da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, dona do estádio. Quando veio a liberação, a capacidade de público foi reduzida dos 45 mil totais para os atuais 29 mil.

"No início do ano, o estádio não tinha a mínima condição de receber um jogo desse nível", reconheceu Francisco Cezário de Oliveira, presidente da Federação de Futebol do Mato Grosso do Sul (FFMS). E ele afirma: os preparativos irão até horas antes do início da partida, marcada para as 19 horas (de Brasília) desta quarta-feira.

Na manhã deste domingo, enquanto Kaká, Luís Fabiano e Gilberto Silva treinavam no calor escaldante de Campo Grande, operários pintavam traves e ainda instalavam mantas de impermeabilização na cobertura.

REFORMA GERAL

A lista de melhorias é tão extensa quanto o valor empregado na reforma de última hora: cerca de R$ 1 milhão. Os gastos serão rateados entre governos municipal e estadual, FFMS e CBF, que abriu mão de 10% da renda para viabilizar a obra.

Todo o gramado, muito duro e cheio de formigueiros, foi reformado. A iluminação melhorou, mas apenas o mínimo necessário para a transmissão da TV - custou R$ 239 mil. As 76 lâmpadas existentes, foram substituídas por 96, mais potentes. Mesmo assim, a iluminação ficará aquém do que pede a Fifa - a potência exigida pela entidade é de 1.200 lux e o Morenão terá a metade.

O número de cabines de imprensa aumentou, de 15 para 35, e os vestiários receberam piso e pintura novas. O placar do jogo também foi mudado: será eletrônico, alugado por R$ 30 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.