Morre ex-jogador Chinesinho, ídolo no Palmeiras e Inter

Morreu neste sábado o ex-jogador Sidney Colônia Cunha, que ficou conhecido como Chinesinho e foi ídolo no Palmeiras e no Inter. Ele completaria 76 anos no dia 28 de junho e sofria do mal de Alzheimer. Segundo informações do clube gaúcho, seu corpo será cremado em São Leopoldo (RS).

AE, Agência Estado

16 de abril de 2011 | 16h02

Chinesinho vivia em Rio Grande (RS), mesma cidade onde nasceu e começou a carreira de jogador. Ele defendeu o Inter entre 1955 e 58, quando foi para o Palmeiras. Ficou por lá até 62, seguindo depois para o futebol italiano, onde defendeu Modena e Juventus, entre outros. Assim que parou de jogar, em 71, virou treinador, chegando a ser o comandante palmeirense em 85.

No Palmeiras, onde fez maior sucesso e chegou a servir a seleção brasileira, o então meio-campista Chinesinho disputou 241 partidas, com 147 vitórias, 46 empates e 48 derrotas, marcando um total de 55 gols. E, por quase dois anos, ele deixou o eterno ídolo palmeirense Ademir da Guia no banco de reservas.

"Com o dinheiro da venda dele (em 1962, para o italiano Modena), o Palmeiras contratou 15 jogadores e formou a primeira Academia. Vieram, entre outros, Servílio, Tupãzinho, Rinaldo, Vavá e Djalma Dias", lembrou o presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone. "Ele era um jogador muito técnico, muito rápido. Além de armar as jogadas, também chegava com facilidade para finalizar a gol. Foi um craque, que só poderia mesmo ser substituído pelo Ademir da Guia."

"O Chinesinho ficará eternizado como um dois maiores nomes que passaram pelo Palmeiras. Isso nunca se apagará. Fica o nosso sentimento de pesar à família e aos amigos", acrescentou o vice-presidente de futebol palmeirense, Roberto Frizzo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasInterChinesinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.