Patrik Stollarz/AFP
Patrik Stollarz/AFP

Morre ex-presidente da Federação Alemã, responsável por 2014

Gerhard Mayer-Vorfelder promoveu reforma no futebol do país

Estadão Conteúdo

18 Agosto 2015 | 09h54

A Federação Alemã de Futebol (DFB) anunciou nesta terça-feira a morte de seu ex-presidente Gerhard Mayer-Vorfelder, aos 82 anos. O ex-dirigente comandou a entidade de 2001 a 2006 e é considerado um dos responsáveis pela reforma no futebol local, que resultou na geração campeã do mundo em 2014. As causas da morte não foram divulgadas pela família.

Mayer-Vorfelder estava internado nos últimos dias em um hospital em Stuttgart e deixa uma esposa e quatro filhos. "Em nome da DFB e também pessoalmente, gostaria de expressar minha mais profunda condolência à sua esposa Margit e à família inteira. Gerhard Mayer-Vorfelder é uma figura importante do futebol alemão. Eu o conheci diretamente nos últimos anos, era uma pessoa competente, que sempre trabalhou com grande comprometimento ao esporte", disse o atual presidente da DFB, Wolfgang Niersbach.

Mayer-Vorfelder foi presidente do Stuttgart de 1975 a 2000. No ano seguinte, assumiu a DFB com o objetivo de reformular o futebol do país, que sofria com uma grave crise técnica. Foi sob seu comando que a seleção alemã sediou a Copa do Mundo de 2006 - na qual caiu na semifinal - e que a federação local iniciou uma grande reforma que gerou alguns dos nomes campeões do mundo no ano passado.

"Sem seu trabalho, não teríamos revelado talentos como Mesut Özil, Mario Götze ou Mats Hümmels", garantiu Theo Zwanziger, que o substituiu no comando da DFB após o fim de seu mandato em 2006, quando virou presidente honorário da entidade. Mayer-Vorfelder ainda foi membro do Comitê Executivo da Fifa e vice-presidente da Uefa de 2007 a 2009.

A morte do ex-dirigente também foi lamentada pelo técnico da seleção alemã, Joachim Löw, com quem também trabalhou no Stuttgart. "A notícia da morte me deixou muito triste e meus pensamentos estão com sua esposa Margit e sua família. Tenho muitas boas memórias desde a época de Stuttgart, onde o conheci como jogador e técnico, e depois na DFB. Ele tinha uma personalidade forte e muita competência no futebol. Sou muito grato a ele por muitas coisas", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.