Lucas Uebel / Grêmio FBPA
Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Morre Fábio Koff, ex-presidente do Grêmio e do Clube dos 13

Dirigente comandou o tricolor gaúcho durante conquista da Libertadores e Mundial em 1983, entre outros títulos

O Estado de S.Paulo

10 Maio 2018 | 08h46

O Grêmio perdeu um dos dirigentes mais vitoriosos da sua história. A equipe gaúcha comunicou nesta quinta-feira a morte de Fábio Koff, que estava com 86 anos. O longevo dirigente também ficou marcado pelo seu trabalho como presidente do Clube dos 13. Ele estava internado em um hospital de Porto Alegre com um quadro de infecção generalizada.

+ No último jogo em vida do ex-dirigente, Grêmio venceu na Copa do Brasil

"É com enorme pesar que comunicamos o falecimento do nosso eterno presidente Fábio André Koff. Lamentamos a perda deste símbolo de nossa história, responsável pela maior glória já alcançada em campo, e expressamos nossa solidariedade à sua família, amigos e à torcida tricolor", anunciou o Grêmio em publicação no seu perfil no Twitter, confirmando a morte do dirigente.

Presente na política do Grêmio desde os anos 1970, Koff teve quatro mandatos como presidente do time gaúcho. Em 1983, era ele quem estava à frente do time que foi campeão da Libertadores e do Mundial Interclubes e tinha o hoje técnico Renato Gaúcho como seu principal expoente.

A segunda passagem do dirigente pela presidência do clube, em dois mandatos consecutivos, ocorreu entre 1993 e 1996, também sendo marcante. O Grêmio voltou a ser campeão da Libertadores, em 1995, além de ter vencido a Copa do Brasil em 1994 e o Campeonato Brasileiro em 1996, sendo comandado por Luiz Felipe Scolari e contando no elenco com ídolos recentes da história do clube, como Jardel, Paulo Nunes e Danrlei.

Também em 1996, Koff foi eleito para a presidência do Clube dos 13, organização criada em 1987 para defender os interesses políticos e comerciais dos principais times do futebol nacional. Um racha na negociação pelos direitos de TV do Brasileirão acabou "implodindo" o grupo em 2011, quando o gaúcho ainda era o seu principal gestor.

O último mandato de Koff à frente do Grêmio ocorreu entre 2013 e 2015, sem o mesmo sucesso dentro de campo das gestões anteriores, ficando mais marcado pela renegociação do contrato de pagamento da construção do novo estádio do clube. Ainda assim, o seu nome já estava marcado como um dos principais dirigentes da história do futebol brasileiro e grande símbolo da história vitoriosa do Grêmio.

O treindor Luiz Felipe Scolari também lamentou o falecimento de Koff. "Lamento profundamente o falecimento do Dr. Fábio Koff, que como dirigente, amigo e pai, deixou uma marca em minha vida. Aprendi muito com sua convivência, que me fez crescer como pessoa e profissionalmente. Expresso, por isso, a mais profunda gratidão por todos os momentos vividos ao seu lado. As minhas condolências à família Koff".

Mais conteúdo sobre:
futebol Grêmio Fabio Koff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.