Morre González, que defendeu Uruguai no 'Maracanazo'

Aníbal Paz e Ghiggia são os últimos jogadores uruguaios vivos entre os que estavam na final da Copa de 50

EFE,

15 Fevereiro 2010 | 15h27

O ex-jogador uruguaio Juan Carlos González, que defendeu o Peñarol e estava em campo na vitória de seu país sobre o Brasil na final da Copa de 1950 - o chamado "Maracanazo" - morreu nesta segunda-feira, aos 85 anos de idade.

O site do jornal "El País" não informou as circunstâncias do falecimento. "González foi um dos 11 leões que conseguiram calar todo o Maracanã e o Brasil inteiro. Ele foi um dos responsáveis por uma das façanhas mais memoráveis da história do esporte", comentou a publicação.

"El País" lembrou ainda que, com a morte de González, restam vivos apenas Aníbal Paz e Ghiggia - este último imortalizado na calçada da fama do Maracanã em dezembro.

Ghiggia foi o autor do gol da virada do Uruguai na final, aos 34 mintos do segundo tempo. A vitória deu ao país seu segundo Mundial, 20 anos depois da conquista da primeira edição, em Montevidéu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.