Paulo Liebert/Estadão - 27/11/2006
Paulo Liebert/Estadão - 27/11/2006

Morre Neneca, goleiro campeão brasileiro pelo Guarani em 1978

Ex-jogador lutava contra um câncer na medula e na carreira se destacou pelas longas sequências de partidas sem tomar gol

O Estado de S. Paulo

25 de janeiro de 2015 | 16h34

O ex-goleiro Neneca morreu na madrugada neste domingo aos 67 anos em Londrina (PR), sua cidade natal. Campeão brasileiro de 1978 pelo Guarani, ele lutava contra um câncer na medula e passou os últimos meses bastante debilitado. O enterro será na manhã desta segunda-feira, também em Londrina. Neneca deixa a mulher e cinco filhos.

Veio dos pés de Neneca o começo do gol mais importante do história clube de Campinas. Na final do Brasileirão contra o Palmeiras, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, um chute do goleiro resultou no gol de Careca. Depois de ter se aposentado, o ex-goleiro ainda trabalhou no Guarani como preparador de goleiros das categorias de base.

Em nota oficial, o Guarani lamentou a morte do goleiro e destacou a importância dele na campanha vitoriosa. "Era também um dos líderes daquele jovem grupo de jogadores. Dividiu responsabilidades enquanto um dos mais experientes do elenco campeão. Jamais será esquecido por seu jeito simples e humilde de ser, seja dentro ou fora de campo", diz o texto.


Neneca, cujo nome era Hélio Miguel, deixou no currículo outras importantes marcas além do título brasileiro. Também em 1978 pelo Guarani, ficou 777 minutos sem levar gols, feito que superaria anos mais tarde. Já pelo Náutico, a invencibilidade somou 18 partidas e 1.636 minutos em 1973, o que configurou recorde mundial na época.

O goleiro começou a carreira no Paraná pela Portuguesa. Também passou por América-MG, Operário (MT), Bragantino, Fluminense (BA) e Votuporanguense (SP). Encerrou a carreira no Londrina, em 1986, onde trabalharia logo depois como treinador de goleiros do time principal.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolGuaraniNeneca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.