Morre o ex-jogador Didi

Waldir Pereira, o Didi, de 72 anos, morreu, neste sábado, no Hospital Pedro Ernesto, em Vila Isabel, zona norte, de falência múltipla dos orgãos em decorrência de um câncer hepático (fígado). Foram 18 dias de luta do ex-jogador contra a doença, que se agravou na quinta-feira após um crise. Ao seu lado, estavam Guiomar, sua mulher durante quase 50 anos, as quatro filhas e parentes. O corpo seria velado neste sábado à tarde no salão nobre do clube Botafogo, equipe na qual se consagrou. O enterro será neste domingo.Nos dois últimos dias de sua vida, Didi passou a maior parte do tempo sedado e respirando por aparelhos. Depois da crise de quinta-feira, chegou a apresentar um quadro de melhora no dia seguinte, mas um pneumonia fragilizou a sua saúde. Na noite de sexta-feira, precisou de aparelhos para respirar. Sexta-feira de manhã, a previsão dos médicos, que tinham poucas esperanças de salvá-lo, se confirmaram.Bicampeão mundial, ele estava internado no hospital desde o dia 25 de abril, quando sentiu fortes dores na barriga. Os médicos decidiram operá-lo e, três dias depois, foram retiradas partes do seu intestino, para onde o câncer havia se alastrado, e da vesícula. Didi foi para uma unidade de recuperação e havia previsão de que ele tivesse alta, até a crise de quinta-feira.Na semana passada, o ex-jogador foi transferido, com objetivo de evitar o assédio dos fãs, para o quarto nº 7 do hospital. Desde então, a família fez questão de manter Didi isolado para não atrapalhar a sua recuperação. Até ex-colegas da seleção e do Botafogo estavam impedidos de visitá-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.