Divulgação/Atlético-MG
Divulgação/Atlético-MG

Morre Ronaldo Drummond, campeão por Atlético-MG, Palmeiras e Cruzeiro

Foi dele o gol do Palmeiras na vitória de 1 a 0 sobre o Corinthians no Estadual de 1974. O jogador foi tricampeão brasileiro e ganhou ainda uma Libertadores. Ele tinha 73 anos e sofreu hemorragia gástrica em Minas Gerais

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2020 | 10h57

O jogador Ronaldo Drummond, atacante tricampeão brasileiro (em 1971 pelo Atlético-MG e 1972 e 1973 pelo Palmeiras) e ainda campeão da Libertadores (de 1976, pelo Cruzeiro), morreu nesta terça-feira, vítima de uma hemorragia gástrica. Ele vivia em Minas Gerais. Ronaldo tinha 73 anos e estava internado no Hospital Vera Cruz, em Belo Horizonte. Sua família chegou a realizar campanha de doação de sangue nas redes sociais, mas o quadro clínico do jogador teve piora e ele não resistiu. Devido à pandemia do novo coronavírus, seu sepultamento será reservado aos familiares.

Ronaldo tem história do Palmeiras, um dos principais clubes que defendeu. Foi na década de 70, qundo sagrou-se bicampeão paulista (1972 e 1974) e também bicampeão brasileiro (1973 e 1974). Com a camisa do time de Palestra Itália, o atacante fez 184 jogos e marcou 31 gols. O mais importante deles foi na final do Campeonato Paulista de 74. Substituindo o titular César Maluco, Ronaldo entrou para marcar o gol que deu o título para o Palmeiras e fez o Corinthians permanecer na fila, que já durava mais de 20 anos. O Morumbi que tinha mais de 100 mil corinthianos, mas viu os palmeirenses em menor número fazerem a festa. O atacante acertou um lindo sem pulo, após toque de cabeça de Leivinha, sem chances de defesa para o goleiro corintiano Buttice.

Ronaldo foi revelado pelo Atlético-MG, clube pelo qual conquistou o Campeonato Mineiro de 1970 e o Campeonato Brasileiro de 1971, o único na história do time. No ano seguinte, foi para o Palmeiras, onde obteve mais dois Brasileiros, de 1972 e 1973. Por fim, encerrou sua carreira no Cruzeiro, de Zezé Moreira, onde foi campeão da Libertadores de 1976. Após se aposentador dos gramados, Ronaldo ainda trabalhou como diretor de futebol do Atlético-MG. Ambos os clubes lamentaram sua morte.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.