Morte de Covas adia sessão da CPI

A morte do governo de São Paulo, Mário Covas, provocou o adiamento da sessão da CPI do Futebol, no Senado, convocada para a tarde desta terça-feira, destinada a ouvir o deputado-federal Robson Tuma (PFL-SP), sobre lavagem de dinheiro e o ex-deputado estadual José Francisco Veloso, que presidiu, em 1994, uma CPI na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, sobre evasão de renda nos estádios de futebol.Apesar de Veloso estar em Brasília, o presidente da CPI, senador Álvaro Dias (PSDB-PR), admitiu que "não tem clima para realizar a sessão". Dias deve convocar nova reunião para quarta-feira à tarde. Na Câmara, a CPI da CBF/Nike também adiou para quarta-feira, a reunião administrativa que estava marcada para esta terça-feira, quando seriam definidas as datas dos depoimentos do deputado Eurico Miranda (PPB-RJ), presidente do Vasco da Gama e do ex-jogador Edinho, acusado de fornecer passaporte falso para Aloísio e Aléx, que atuam no Saint Etiènne, da França.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.