Ander Gillenea / AFP
Ander Gillenea / AFP

Morte de policial não teve relação direta com violência de torcidas em Bilbao

Cinco pessoas permanecem presas devido à briga, duas espanholas e três russas

Estadão Conteúdo

23 de fevereiro de 2018 | 13h02

O policial que sofreu uma parada cardíaca durante uma briga entre torcedores antes de uma partida da Liga Europa e posteriormente morreu não teve o colapso por causa diretamente do conflito, explicaram nesta sexta-feira as autoridades do País Basco.

+ Hooligans russos e barra bravas argentinos fazem pacto para a Copa

+ Sorteio define duelo entre Milan e Arsenal nas oitavas de final da Liga Europa

Eles explicaram que os médicos descartaram a possibilidade da parada cardíaca ter sido provocada por qualquer tipo de trauma sofrido pelo policial no conflito que aconteceu antes da partida entre Athletic Bilbao e o russo Spartak Moscou, nesta quinta-feira.

Houve relatos conflitantes sobre o que causou a morte do policial, com alguns dizendo que ele poderia estar envolvido em uma briga com os torcedores ou teria sido atingido por um dos muitos objetos jogados durante a altercação.

Cinco pessoas permaneceram detidas - três cidadãos russos e dois espanhóis - após os violentos confrontos ocorridos menos de quatro meses antes da a Copa do Mundo ser realizada na Rússia.

As autoridades identificaram a vítima como sendo Inocencio Alonso Garcia, de 51 anos, e disseram que ele "de repente se sentiu mal durante os graves incidentes", ocorridos nas proximidades do Estádio San Mames.

Eles disseram que o policial foi rapidamente levado do local, mas teve uma parada cardíaca antes de chegar a um hospital, onde os médicos tentaram reavivá-lo durante pouco mais de uma hora.

O conflito ocorreu quando torcedores do Spartak eram escoltados pelas forças de segurança até o estádio e um grupo começou a acender e lançar fogos de artifícios na direção dos fãs do Athletic e dos policiais.

A polícia disse que "torcedores violentos de ambos os clubes" participaram da briga, enquanto milhares tentavam se afastar do conflito. As autoridades também afirmaram ter identificado, antes da briga, diversas pessoas carregando facas, barras de ferro e sacos de pedras.

A Uefa condenou os confrontos violentos e disse que estava em contato com as autoridades locais para obter mais informações sobre os incidentes, enquanto o presidente da liga espanhola, Javier Tebas, pediu ação da Fifa e da entidade europeia para acabar com a violência da torcidas.

Bilbao receberá jogos da Eurocopa de 2020. Seis anos atrás, um torcedor morreu na cidade em confrontos após uma partida entre o Athletic e o alemão Schalke.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLiga Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.