Morte não foi no tumulto, diz governo

O governo do Pará negou que o tumulto na entrada do treino da Seleção Brasileira, na terça-feira, tenha causado a morte de Elineli dos Santos, de 10 anos. Segundo informações do médico Jaime Bastos, a menina teria morrido após um atropelamento na Rodovia Augusto Montenegro, que passa perto do Mangueirão. "É uma via com quase 30 quilômetros e não temos como precisar se o caso está relacionado com o treino da Seleção." José Ângelo Miranda, secretário de esportes do Pará, afirmou que o Instituto Médico Legal (IML) não registrou nenhuma morte por atropelamento.Entre os acidentados no estádio, o caso mais grave era o do garoto Eunélio dos Santos, de 9 anos. Na confusão, o menino acabou pisoteado e teve traumatismo craniano. O garoto foi levado para a Unidade Grave do Pronto Socorro com situação delicada. Após ser submetido a tomografia, o quadro de Eunélio teria melhorado. "Ele foi examinado, fez tomografia e está fora de perigo", disse a diretora do Pronto Socorro Municipal, Maria Amélia Queiroz.

Agencia Estado,

12 de outubro de 2005 | 05h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.