Patrícia Rennó/ Estadão
Patrícia Rennó/ Estadão

'Motivação total', diz goleiro Bruno ao voltar aos gramados em Poços de Caldas

Jogador foi apresentado como titular do time de Minas em clima de cordialidade e respeito: ele cumpre pena de 20 anos pelo assassinato de Eliza Samudio

Patrícia Rennó, especial para o Estado

05 de outubro de 2019 | 14h52

Em clima de otimismo e receptividade, o goleiro Bruno foi apresentado como titular do Poços de Caldas durante entrevista coletiva realizada na manhã deste sábado juntamente com outros atletas no Centro de Treinamento do clube. Acompanhado da filha Isabela, de um ano, da mulher Ingrid Calheiros de Oliveira e de sua advogada, o jogador afirmou que está com "motivação total" para entrar em campo e retomar sua carreira.

"Me sinto lisonjeado em estar voltando para o esporte. A motivação vem da oportunidade de voltar ao futebol. É o que eu sei fazer, é o dom que Deus me deu. Estou com motivação total, vontade de crescer novamente", disse.

É a primeira vez que Bruno pôde sair da cidade de Varginha (MG) desde que foi preso. O jogador cumpre pena de 20 anos pelo assassinato de Eliza Samudio e foi autorizado pela Justiça de Minas Gerais a deixar a prisão e retornar até as 21h. Bruno foi anunciado como reforço pelo Poços de Caldas no dia 27 de agosto, após ser liberado pela Justiça para trabalhar. Mas ele ainda não pode ficar fora de Varginha. Tem de voltar para a prisão todos os dias.

Sobre a receptividade de torcedores e moradores de Poços de Calda, o jogador disse que tem sido bem aceito por onde passa, apesar de também ouvir críticas de alguns que não concordam com o seu retorno ao futebol após a condenação. "A partir do momento que as pessoas passarem a conhecer o Bruno mais de perto, o ser humano que é o Bruno, tenho certeza que elas podem mudar a opinião. Vou ter a oportunidade de mostrar esse novo eu", afirmou o goleiro.

Segundo dirigentes do clube de Minas, Bruno receberá um salário mensal de cerca de R$ 10 mil, com contrato até janeiro de 2020 e objetivos de estender o prazo.

O goleiro disse que pretende se preparar fisicamente para jogar bem. "Futebol é como andar de bicicleta, quando se aprende jamais se esquece. Vou ter o tempo necessário para entrar em forma e contribuir com o time. Tenho certeza que, com ajuda dos meus companheiros, vou conquistar os meus objetivos".

Sobre o recomeço, Bruno diz que é desafiador e que quer ser o mesmo goleiro que atuou em Flamengo e Corinthians e que está confiante para resolver as questões jurídicas (penais) para continuar a trabalhar no futebol. "Tem jogadores que atuam até 41 anos, e eu estou com 34. A posição de goleiro ajuda e pretendo jogar muitos anos mais. Apostamos na questão jurídica e, a partir de janeiro, com ajustes, talvez eu mude para Poços de Caldas", afirmou.

O técnico Paulinho Ceará disse ao Estado que a contratação de Bruno causou um certo "impacto" nos jogadores e na população da região, mas que conversou antes com os atletas para que eles pudessem recepcioná-lo. "Nossa expectativa é positiva e acreditamos que vamos realizar um bom trabalho juntos", assegura.

SEGUNDONA EM 2020 

O Poços de Caldas estava desativado desde 2018 e foi adquirido pelo empresário da área de eletroeletrônicos Paulo César da Silva. Segundo a assessoria do clube, foram investidos cerca de R$ 380 mil para pagar dívidas e para dar início aos trabalhos do time. A expectativa é que em agosto de 2020 o clube atue na segunda divisão do Campeonato Mineiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.