Andrew Yates/Reuters
Andrew Yates/Reuters

Mourinho diz que Manchester United está otimista com recuperação de Ferguson

United não divulgou qualquer atualização sobre o estado de saúde desde ter declarado no sábado que Ferguson precisava de "um período de cuidados intensivos"

Estadão Conteúdo

09 Maio 2018 | 11h26

O técnico do Manchester United, José Mourinho, declarou nesta quarta-feira que o clube está "muito, muito otimista" sobre a condição de Alex Ferguson, lendário treinador da equipe. Ele foi submetido a cirurgia de emergência por uma hemorragia cerebral no último fim de semana.

+ Alex Ferguson sai do coma e consegue sentar e conversar, diz jornal

O United não divulgou qualquer atualização sobre o estado de saúde desde ter declarado no sábado que Ferguson precisava de "um período de cuidados intensivos para otimizar a sua recuperação".

Nesta quarta-feira, na entrevista coletiva prévia ao duelo do Manchester United com o West Ham, válido pelo Campeonato Inglês, Mourinho trouxe boas notícias envolvendo Ferguson. "Sua família pediu privacidade e vou respeitar isso. Mas nós estamos otimistas. Estamos muito, muito otimistas".

As declarações de Mourinho se dão após a imprensa britânica revelar que Ferguson evolui bem e já estaria conseguindo ficar sentado, além de conversar com seus familiares, em informações que não foram confirmadas pelo clube de Manchester.

Uma das lendas do futebol inglês por seu trabalho como treinador, Ferguson tem 76 anos e está aposentado desde que deixou o United em 2013, encerrando uma sequência de 26 anos como técnico do tradicional clube da Inglaterra.

Ferguson fez história no comando do United ao conquistar 38 títulos. Foram 13 troféus somente do Campeonato Inglês. Sob o comando do treinador, o time ainda conquistou dois títulos da Liga dos Campeões da Europa e dois Mundiais de Clubes. Diante do seu problema de saúde, o mundo do futebol tem enviado mensagens de pronta recuperação e solidariedade a ele e seus familiares desde então.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.