Andy Rain/EFE
Andy Rain/EFE

Mourinho é multado em quase R$ 100 mil após criticar arbitragem

Para Associação de Futebol da Inglaterra, os comentários do técnico do Chelsea foram 'impróprios e colocaram o jogo em descrédito'

Estadão Conteúdo

28 de janeiro de 2015 | 11h02

A Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês) aplicou nesta quarta-feira uma multa de 25 mil libras (cerca de R$ 98 mil) ao técnico José Mourinho, punido um mês após afirmar, depois de um jogo do Chelsea, que havia uma "campanha" da arbitragem contra o time de Londres no Campeonato Inglês.

O treinador português fez este comentário depois de um empate por 1 a 1 com o Southampton, no último dia 28 de dezembro, quando Cesc Fàbregas recebeu um cartão amarelo após supostamente simular um pênalti em um ataque do Chelsea.

Ao analisar a atitude de Mourinho, uma comissão da FA disse que os comentários do comandante foram "impróprios e colocaram o jogo em descrédito", assim como fez um alerta ao técnico para que esse tipo de conduta não se repita no futuro.

Quando a FA abriu processo disciplinar para julgar a atitude de Mourinho, o treinador negou que tenha agido com conduta imprópria, apesar das críticas contundentes que fez à arbitragem. Naquela ocasião, afirmou: "Não foi um incidente. Tem uma campanha, uma clara campanha. Pessoas, especialistas, comentaristas, treinadores de outros times, eles reagem contra o Chelsea de um jeito que não reagem diante de outras equipes".

Em seguida, ele disse que a suposta campanha estaria colocando pressão sobre os árbitros em jogos do Chelsea. "Eles colocam pressão e os juízes cometem erros como este. Perdemos dois pontos. Fàbregas levou um cartão amarelo", reclamou, para depois ainda ressaltar: "Acho que foi um escândalo porque não foi um pênalti qualquer. Foi um pênalti tipo Big Ben. Foi um grande erro, com uma grande influência no resultado".

Tudo o que sabemos sobre:
futinterfutebolChelseaJosé Mourinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.