Adrian Dennis/AFP
Adrian Dennis/AFP

Mourinho e Wenger minimizam empurrões em clássico inglês

Estranhamento entre os técnicos ocorre após Gary Cahill, zagueiro do Chelsea, acertar carrinho forte no chileno Alexis Sánchez

Estadão Conteúdo

05 de outubro de 2014 | 19h14

Dois do técnicos mais expressivos do mundo, Arsène Wenger e José Mourinho voltaram a se estranhar neste domingo. Diferente de outras muitas ocasiões, quando eles bateram boca pela imprensa, desta vez o entrevero foi físico. No clássico entre Arsenal e Chelsea, pelo Campeonato Inglês, os dois trocaram empurrões e protagonizaram o lance que marcou a partida.

Gary Cahill deu carrinho forte em Alexis Sánchez, Wenger não gostou e foi para o local do lance, passando pela área técnica do Chelsea. José Mourinho estava lá e foi empurrado pelo peito. Reagiu, irritado, mas o quarto árbitro entrou entre os dois treinadores.

Para Wenger, foi apenas um "empurrãozinho". "Que mal tem?", perguntou. "Eu queria ir de ''A'' para ''B'' e alguém entrou no meu caminho sem nenhum aviso. O ''B'' era o Sánchez, para ver se havia se machucado", argumentou.

Já Mourinho disse que, dessa vez, não fez nada. "Para ser justo, eu faço muitas coisas ruins no futebol, mas não desta vez, porque eu estava na minha área técnica e não era meu problema. A partida foi até foi. Ponto final", disse o treinador português. No campo, Chelsea venceu por 2 a 0.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.