Mourinho ironiza arbitragem e diz que Barcelona foi beneficiado

Revoltado, técnico afirmou que juiz não deixará Real virar resultado no próximo jogo

AE, Agência Estado

27 de abril de 2011 | 19h41

MADRID - Conhecido pelas provocações e polêmicas, o técnico José Mourinho não se conteve após a derrota do Real Madrid para o rival Barcelona, no Santiago Bernabéu, nesta quarta-feira. O português ironizou o juiz do clássico, válido pela ida das semifinais da Liga dos Campeões, e disse que a arbitragem não deixará o Real virar o resultado na próxima terça, no Camp Nou.

"Se eu disser [ao juiz] e à Uefa o que eu penso e o que estou sentindo, minha carreira termina hoje", afirmou o treinador, após a derrota por 2 a 0 para o Barcelona. Com o revés, o Real precisará vencer fora de casa por dois gols de diferença para levar o duelo para a prorrogação.

Indignado, Mourinho criticou a expulsão do zagueiro Pepe, que levou o cartão vermelho direto por fazer falta dura em Daniel Alves, e a suspensão de Sergio Ramos, com o terceiro amarelo. O próprio treinador acabou sendo expulso do banco de reservas por criticar o vermelho recebido por Pepe.

"Vamos lá [até Barcelona] com nosso orgulho, sem Pepe, que não fez nada, sem Ramos, que não fez nada, e sem o técnico, que não pode ficar no banco de reservas", reclamou o treinador, que viu seu time terminar com 10 jogadores em campo nas últimas cinco partidas contra o Barcelona - uma delas na semifinal da temporada passada, quando comandava a Inter de Milão.

Para o técnico, a suposta influência da arbitragem não deixará o Real reverter o resultado na próxima terça. "Se marcarmos um gol lá, eles vão nos destruir novamente. É um resultado que é impossível. Hoje ficou claro que não há possibilidade".

"E a minha pergunta é: por quê? Esta questão me acompanhará durante toda a minha vida, mas espero que um dia eu obtenha a resposta. Por que o árbitro fez o que fez em uma partida equilibrada como essa? Mas ele não vai responder. Ele vai para casa agora porque ele não precisa dar satisfações para ninguém", comentou Mourinho.

O treinador, que havia provocado Josep Guardiola na terça, voltou a alfinetar o treinador do Barcelona após a partida. "Venci a Liga dos Campeões por duas vezes, e foi no campo, em dois clubes diferentes. Josep Guardiola é um técnico fantástico. Mas se ele vencer novamente, então o título será manchado pelo resultado de hoje", disse Mourinho, se referindo também à vitória polêmica do Barcelona sobre o Chelsea na semifinal de 2009. Guardiola levou sua equipe ao título na ocasião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.