Mourinho nega pedido de desculpas por agressão

O técnico do Real Madrid, José Mourinho, não vai pedir desculpas por seu comportamento na decisão da Supercopa da Espanha, na quarta-feira, informou seu porta-voz neste domingo. "José não pedirá perdão. Ele acredita fortemente que estava defendendo os interesses do Real Madrid", declarou Eladio Parames.

AE, Agência Estado

21 de agosto de 2011 | 13h10

O treinador acertou o dedo no olho do auxiliar do Barcelona Tito Vilanova durante confusão envolvendo jogadores e comissão técnica dos dois times nos instantes finais da partida. Mourinho também fez gestos inapropriados para os jogadores Lionel Messi e Daniel Alves, do arquirrival, e ainda criticou Vilanova e os gandulas do Barcelona, que teriam atrasado a devolução das bolas nos minutos finais da partida vencida pelo time catalão por 3 a 2.

A atitude de Mourinho gerou críticas da imprensa local e mundial. "Mourinho não liga para o que a imprensa diz. Ele dá atenção somente ao que os torcedores do Real Madrid pensam", declarou Parames.

Na temporada passada, o técnico português foi suspenso por cinco jogos pela Uefa por ter afirmado que a arbitragem favoreceu o Barcelona nas duas partidas disputadas contra o Real Madrid, pelas semifinais da Liga dos Campeões. A punição foi reduzida para apenas três jogos após apelação de Mourinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.