Mourinho rebate acusação e diz se apoiar em imagem

O técnico José Mourinho se defendeu, nesta sexta-feira, do processo disciplinar movido pela Uefa contra ele, por conta de suas declarações após a derrota do Real Madrid para o Barcelona, por 2 a 0, na última quarta-feira, pelas semifinais da Liga dos Campeões da Europa.

AE, Agência Estado

29 de abril de 2011 | 10h49

Na ocasião, o treinador reclamou da expulsão de Pepe, após entrada em Daniel Alves, e falou de um suposto favorecimento ao Barcelona "pela publicidade da Unicef (estampada na camisa da equipe), pela amizade com (Angel María) Villar (presidente da Real Federação Espanhola de Futebol), ou porque são simpáticos", o que foi considerado "inapropriado" pela entidade.

"Uma imagem vale mais do que mil palavras e todas elas estão rodando o mundo. O que eu disse já foi dito e não tenho mais nada a acrescentar. Quem critica minhas palavras, critica as imagens e pensa que as fotos foram retocadas e o vídeo é uma montagem. Não é assim, são fotos e imagens reais. Fiz uma pergunta justa, não acusações. Minha pergunta foi ''por que?''. E acho que vou morrer sem saber a resposta", declarou o treinador nesta sexta, reafirmando que, na opinião dele, foi injusta a expulsão de Pepe.

Com poucas chances de conquistar o Campeonato Espanhol, no qual está oito pontos atrás do líder Barcelona, e com situação complicada na Liga dos Campeões - o Real precisará reverter a vantagem de 2 a 0 na próxima terça-feira, no Camp Nou -, Mourinho negou que o lado psicológico da equipe esteja abalado.

"Temos moral em todos os sentidos. Não terminou a temporada, só termina no final de maio. E depois ainda teremos que jogar vários amistosos. Até que estivermos de férias, não estamos de férias", afirmou.

DESFALQUES - Neste domingo, o Real Madrid receberá o Zaragoza, pela 34.ª rodada do Espanhol e, pensando no Barcelona, Mourinho já avisou que o time não vai atuar completo. Cristiano Ronaldo será poupado e se juntará a Diarra, Xabi Alonso e Albiol, que também não jogam.

"Lass (Diarrra) e Xabi Alonso estão mortos fisicamente porque atuaram muito tempo com onze contra dez (contra o Barcelona), por isso não foram convocados. Albiol não precisa jogar, já que Pepe e Sergio Ramos cometeram essas ações ''criminosas'' e estão suspensos (da partida de volta contra o Barcelona). Cristiano (Ronaldo) não está porque temos boas opções como Higuaín, Benzema e Adebayor", disse o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.