MP divulga imagens de agressão a torcedor do Internacional; assista

Torcida organizada é vetada a partir do jogo contra o Figueirense

LUCAS AZEVEDO, Estadão Conteúdo

19 de setembro de 2015 | 16h29

O Ministério Público do Rio Grande do Sul divulgou imagens da agressão contra um torcedor do Internacional por integrantes de uma organizada do próprio clube. A partir das provas, captadas por uma câmera de vigilância do estádio do Beira-Rio na noite do sábado, a promotoria pediu a prisão de um dos líderes da torcida Guarda Popular e a proibição de seu funcionamento com faixas, instrumentos musicais ou qualquer elemento identificado, já a partir deste sábado, na partida contra o Figueirense pelo Campeonato Brasileiro.

Nas imagens é possível ver Marcelo Silveira Machado, de 31 anos, sendo agredido pelas costas no estacionamento do Beira-Rio, momentos antes do embarque dos torcedores da organizada para Curitiba (PR). Depois de derrubado, ele é severamente acertado com chutes e objetos lançados. O torcedor está internado no HPS (Hospital de Pronto Socorro) em estado regular.

Na última sexta foi decretada a prisão preventiva de Gilberto Bitencourt Viegas, o Giba, líder da Guarda Popular. Para a promotoria, está confirmada sua participação na agressão.

"A Promotoria de Justiça do Torcedor tem atuado, desde sua origem, para a pacificação dos estádios de futebol no Rio Grande do Sul. O crime noticiado não é fato isolado e demonstra a necessidade de atenção de todos. O Estatuto do Torcedor determina que a prevenção à violência nos esportes seja prioridade do poder público, dos clubes, das federações e das associações de torcedores", explica o promotor Márcio Emílio Lemes Bressani.

Sobre a suspensão da torcida, Bresni avalia: "Ela está diretamente vinculada ao fato de que diversas pessoas tem se utilizado do espaço das torcidas para o cometimento de crimes. A depuração destas condutas e a efetiva apuração dos fatos é que influenciarão no período da proibição imposta à torcida organizada".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolviolênciaInter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.