Tasso Marcelo/AFP
Tasso Marcelo/AFP

MP do Rio investiga negócio milionário de ingressos da Copa-2014

Autoridades identificam movimentações 'atípicas' envolvendo a Fifa

RONALD LINCOLN JR., O Estado de S. Paulo

26 de junho de 2015 | 16h04

As investigações sobre irregularidades na venda de ingressos para a Copa do Mundo de 2014 ganharam novo episódio. O Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) identificou "movimentações financeiras vultosas e atípicas" que partiram da Fifa para uma pessoa física, revelou o promotor Marcos Kac, durante uma conferência sobre paz no futebol, realizada nesta sexta-feira, no Rio.

O caso, por enquanto, segue em sigilo de Justiça, e por isso o nome do envolvido não foi revelado. "Não é uma pessoa ligada diretamente ao meio do futebol, mas tem vínculos comerciais com o esporte", disse ao Estado. De acordo com o promotor, a transação tem ligação com a venda de ingressos da Copa de 2014.

Kac afirmou ainda que o MP-RJ está disposto a colaborar com a Justiça norte-americana no caso de corrupção e pagamento de propinas, que resultou na prisão de executivos da Fifa, entre eles o ex-presidente da CBF José Maria Marin - detido na Suíça há quase um mês. Segundo o promotor, no entanto, a entidade brasileira não foi acionada até o momento.

Em 2014, Kac participou das investigações sobre irregularidades na venda de ingressos para Copa. Na ocasião, 11 pessoas foram presas acusadas de cambismo. Entre elas, o inglês Raymond Whelan, CEO da Match Services, empresa ligada à Fifa. O processo contra Whelan foi arquivado em fevereiro e ele voltou para a Europa em liberdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.