Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

MP vai apurar abuso de policiais contra cruzeirenses

Torcedores do Cruzeiro foram agredidos por policiais nas arquibancadas do Estádio Palestra Itália

AE, Agencia Estado

15 de junho de 2009 | 17h52

O promotor do Ministério Público de São Paulo, Paulo Castilho, afirmou nesta segunda-feira que vai solicitar as imagens de tevê e, possivelmente, instaurar inquérito para apurar abuso de autoridade de um policial contra um torcedor do Cruzeiro, no último domingo, no Palestra Itália, no jogo contra o Palmeiras.

 

Veja também:

especialVisite o canal especial do Brasileirão

especialJogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

De acordo com Castilho, só falta agora uma representação da vítima contra o policial, além da confirmação do abuso de autoridade pelas imagens.

No Termo Circunstanciado enviado nesta segunda pela 23.ª Delegacia de Polícia ao Juizado Especial Criminal, a PM justifica sua ação dizendo que precisou intervir numa confusão envolvendo palmeirenses e cruzeirenses durante o jogo e que os torcedores do time mineiro arremessaram instrumentos musicais contra os policiais, que conseguiram dominar a situação. Os sete detidos, portanto, acabaram sendo acusados de agressão contra a Polícia Militar, e não o contrário.

A confusão começou por volta dos 35 minutos do primeiro tempo, quando palmeirenses teriam puxado faixas colocadas pelos cruzeirenses. A Máfia Azul, principal torcida organizada da equipe mineira, respondeu atirando objetos nos rivais. Foi quando os policiais resolveram intervir, de modo violento. Os ânimos se acalmaram por cinco minutos, mas no intervalo a Polícia Militar mais uma vez se utilizou da violência para afastar a torcida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.