MP vai investigar horário do metrô em jogos do Corinthians

Órgão considera indevida a mudança no horário de funcionamento do transporte público para atender uma entidade privada

O Estado de S. Paulo

28 de agosto de 2014 | 18h52

O Ministério Público (MP) do Estado de São Paulo revelou nesta quinta-feira que abriu inquérito civil para apurar a mudança no horário do funcionamento do metrô nas noites de jogo do Corinthians em seu estádio. Para a Promotoria do Patrimônio Público, o Governo do Estado tomou a medida para atender a demanda de uma entidade privada ao adiar em trinta minutos a partida da última trem da estação em Itaquera.

O governo tomou a decisão no último dia 29 de julho, após se reunir com dirigentes do Corinthians. O clube tinha pedido para que o metrô fechasse mais tarde para ajudar no escoamento de torcedores que vão à Arena Corinthians acompanhar as partidas. O estádio fica a cerca de 800 metros da estação de metrô, que é uma das poucas opções de transporte para a região. 

"Alteraram o horário do metrô atendendo um pedido de uma única entidade privada. Mas isso deveria ser uma demanda de toda a população. O metrô é um órgão público, não pode estar a serviço de uma única entidade privada. Estamos colhendo informações com o Metrô para entender o que aconteceu. O Corinthians será ouvido na hora oportuna", disse o promotor de Defesa do Patrimônio Público, Marcelo Milani, em entrevista coletiva nesta quinta.

Porém, o novo horário do metrô, com o funcionamento em horário prolongado em dias de jogos com início às 22h, também beneficiou a outros clubes que têm estádios perto de estações. Como é o caso de São Paulo e Portuguesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.