MP vai pedir explicações a Zveiter

Os clubes e torcedores revoltados com a anulação das 11 partidas da Série A do Campeonato Brasileiro ganharam um reforço nesta segunda-feira, já que o Ministério Público Federal (MPF) decidiu pedir explicações ao presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Luiz Zveiter, sobre o porquê de ter tomado tal decisão. Os procuradores Claudio Gheventer e Vinícius Panetto encaminharam um ofício ao magistrado requisitando uma cópia do processo sobre a ?máfia do apito? para analisarem se entram na Justiça Federal, com o objetivo anular a liminar proferida pelo juiz carioca.?Estaremos atuando na defesa coletiva dos consumidores, nesse caso, os torcedores. Precisamos saber em que condições a decisão de anular as partidas foram tomadas?, disse Gheventer. ?Foi muito estranho, por exemplo, o presidente do STJD proferir uma decisão contra, antes mesmo de os clubes entrarem com um recurso.? De acordo com o procurador do MPF, caso seja constatado que houve ilegalidade, falta de fundamento jurídico, cerceamento de defesa aos clubes ou inconstitucionalidade na decisão do presidente do STJD, será dado entrada em um processo na Justiça Federal. E, se a sentença for favorável no tribunal da União, Gheventer assegurou que Zveiter será obrigado a cumprir a decisão.Os procuradores também estão curiosos em saber os motivos que levaram à anulação dos jogos da Série A, enquanto a Série B permaneceu sem uma medida efetiva. Gheventer destacou achar ?estranho? que as ?revelações? do árbitro Edilson Pereira de Carvalho terem sido suficientes para justificar a anulação dos jogos da Primeira Divisão.O presidente do STJD não quis se manifestar sobre o assunto. Mas, o procurador do tribunal desportivo, Paulo Schmidtt, argumentou que não existem provas para que o procedimento adotado na Série A também seja praticado na B.?A Série B ainda está sob investigação porque não existem elementos concretos em relação a essa série. Temos que aguardar relatórios e investigações, como existiu na Série A?, destacou o procurador do STJD.?Tem que se ter um pouco de paciência. Não é nem desmerecimento de uma série em relação a outra. É exatamente querer se chegar a fatos mais concretos, independente de ser A, B ou C.? CNJ ? O advogado Luis Eduardo Salles Nobre entrou nesta segunda-feira com um recurso para que na reunião do dia 18, o Conselho Nacional de Justiça aprecie seu pedido de liminar para retirar Zveiter do cargo de presidente do STJD. Contou que no despacho, onde pediu explicações ao magistrado sobre o acúmulo de funções pública e privada, o ministro-corregedor do órgão federal, Antônio de Pádua Ribeiro, não se manifestou sobre o afastamento preventivo do juiz carioca do posto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.