MSI não contrata auxiliar para Márcio

Há algo muito estranho na relação Márcio e MSI. A impressão no Parque São Jorge é mesmo que a empresa quer outro técnico no Corinthians. Independentemente da boa campanha do atual técnico. O último ingrediente foi a negativa ao pedido da contratação de um auxiliar. Não há por que a multinacional se negar ajudar o técnico buscando um empregado que costuma receber no máximo R$ 6 mil mensais. No Parque São Jorge se comenta que o auxiliar pedido por Márcio tem nome e sobrenome: Jairo Leal, que trabalha com Parreira na Seleção. "Eu já conversei com o diretor (da MSI) Paulo Angioni sobre o cargo de auxiliar. Tudo o que tinha para dizer, falei para ele em reunião. Agora, não é comigo", afirmou Márcio.Os boatos sobre Leão no Parque São Jorge são insistentes. Todos os dias conselheiros garantem que Kia Joorabchian tem conversado com o treinador. O maior obstáculo para a troca imediata de comando do time de futebol está na campanha de Márcio e o seu salário. O ex-auxiliar de Daniel Passarella recebia R$ 6 mil e ao ser efetivado passou a embolsar R$ 22 mil. Leão quer receber US$ 150 mil, cerca de R$ 310 mil mensais.Kia está muito preocupado. Se ceder à pressão de Alberto Dualib e contratar Leão, como iria se explicar se a caríssima troca não der certo. Tem mais: as informações que o iraniano recebeu do elenco são claras - os jogadores preferem trabalhar com Márcio, com quem disputam até rachão, como ontem pela manhã, a Leão e sua fama de prepotente."Nós queremos que o Márcio continue trabalhando com a gente. Ele é um técnico de diálogo. Não existe motivo para sair. Eu dou o sangue para que ele fique", diz Carlos Alberto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.