MSI nega interesse por Gustavo Nery

Jamais o lateral-esquerdo Gustavo Nery, do Werder Bremen, esteve na lista dos jogadores que interessam ao Corinthians. A informação é de uma fonte ligada da Kia Joorabchian, presidente da parceira corintiana, e serve como resposta ao empresário do jogador, Ely Coimbra Júnior, que acenou com a hipótese de o jogador retornar ao futebol brasileiro, numa entrevista à rádio Jovem Pan, hoje. De acordo com o empresário do ex-sãopaulino, Gustavo Nery não se adaptou ao futebol alemão. Além de ter sofrido uma lesão grave, o lateral tem enfrentado seríssimos problemas com a língua do país. Coimbra praticamente ofereceu no ar o seu atleta à MSI. "Essa possibilidade existe, sim. Principalmente pelo fato de o Corinthians ser um time grande", afirmou o empresário. Se dependesse da admiração do técnico Tite, Gustavo Nery até poderia vir a jogar no Corinthians. O problema é que Kia já foi informado por sua equipe que Gustavo Nery não voltou bem depois da lesão. Nos últimos dois jogos de sua equipe, jogou só 30 minutos e não foi bem. Gustavo está no Werder Bremen desde julho de 2004. Ele tem mais quatro anos de contrato com o clube alemão. Apesar do discurso otimista de Ely Coimbra Júnior, a prioridade para a MSI, no momento, é a contratação do meia Róger, do Benfica. Kia chegou a reservar três milhões de euros para oferecer ao clube português, antes do carnaval, mas resolveu transferir a responsabilidade de negociar com o Benfica ao empresário do atleta, Mauro Azevedo. Róger, na verdade, foi um dos primeiros nomes indicados por Tite mas a negociação com os portugueses sempre foi muito complicada, principalmente depois que a MSI gastou U$ 22,5 milhões para trazer Tevez. Numa primeira conversa, em dezembro do ano passado, o preço estipulado pelo Benfica era de U$ 4 milhões. Mas quando a MSI acenou com a possibilidade de bancar a contratação, o Benfica aumentou para U$ 6 milhões, fazendo a parceira corintiana a desistir do negócio. No entanto, depois do mau começo do time no Campeonato Paulista Kia se rendeu aos argumentos de Tite e admitiu retomar as negociações. Chegou a falar em três milhões de euros com seus assessores. Porém, foi aconselhado a permanecer distante das negociações, que passaram a ser dirigidas pelo empresário de Róger. Além disso, o próprio atleta prometeu pressionar os dirigentes portugueses a facilitar sua saída. Simultaneamente, a MSI negocia com outros jogadores para o meio-de-campo. Mascherano, do River Plate, é um sonho do iraniano Joorabchian. Kia voltou de Buenos Aires, hoje, animado com a chance de dissuadir o clube argentino de só liberar o seu volante após a disputa da Libertadores. Consta que nessa viagem à Buenos Aires, Kia aumentou de U$ 12 milhões para U$ 15 milhões a oferta para ter Mascherano agora. Já na negociação com Kléberson, do Manchester United, não evoluiu tão rápido, apesar de a empresa confirmar o interesse pelo jogador. O problema é que Kléberson passou por uma cirurgia no tornozelo e ainda vai demorar três semanas para voltar ao futebol. Além disso, a empresa ainda não desistiu de Vágner Love. A proposta de U$ 12 milhões pelo ex-palmeirense está mantida. A MSI só espera o confronto do CSKA com o Benfica, pela Copa da Uefa, para voltar a negociar com os russos.

Agencia Estado,

10 de fevereiro de 2005 | 17h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.