Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Mudança no estatuto faz Andrés ter forte oposição no conselho do Corinthians

Apenas três das oito chapinhas eleitas para o conselho apoiam o atual presidente

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2018 | 07h00

Andrés Sanchez assumiu um Corinthians bem diferente daquele que ele deixou em 2012 não só sob o ponto de vista financeiro e de organização. Uma mudança no estatuto do clube fez com que ele assumisse um clube tendo a oposição como maioria no conselho, algo que o obrigará a tentar novas alianças ou saber lidar com maior pressão nos bastidores. Das oito chapinhas, três são favoráveis ao atual presidente.

+ Sem espaço, Maycon deve trocar o Corinthians por clube ucraniano

A novidade desta eleição foi a criação de chapinhas formadas por 25 conselheiros, que foram eleitos no último sábado. Anteriormente, existia uma chapa única que era a mesma do presidente eleito. A alteração visa democratizar a administração do clube, mas a diretoria entende que pode ter um efeito contrário. 

Tanto que a atual diretoria vai tentar colocar em votação no conselho uma alteração na forma de escolha dos conselheiros. A ideia é fazer uma alteração tendo a chapa do presidente vencedor a maioria das 200 cadeiras. 

Das oito chapinhas eleitas, apenas três apoiaram Andrés. Casos da Preto no Branco, Tradição Corinthians e Renovação e Transparência. São 75 dos 200 conselheiros, o que dá 37% do conselheiro favorável. Existe ainda uma chama pró-Paulo Garcia, a Fiéis Escudeiros, que deve se aproximar de Andrés em breve. As outras quatro chapinhas são uma aliada de Antônio Roque Citadini (São Jorge), uma de Felipe Ezabella (Corinthians Supremo) e mais duas independentes (Inteligência Corinthians e Mosqueteiros).

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.