Mudanças de técnicos e facada na A-2

A 12ª rodada do Campeonato Paulista da Série A-2, encerrada no último domingo, deu o que falar. E continua dando.Nesta segunda-feira, não faltaram problemas em vários clubes. Alguns estão sem técnico, o Nacional entrou com protesto contra arbitragem e houve até uma tentativa de homicídio na Francana.Toninho Moura se desligou do Taubaté esta manhã, alegando desgaste pela campanha irregular do time. No Noroeste, Ivo Sechi entregou o cargo após a vitória sobre a Matonense, por 3 a 1, e de atingir seu objetivo de colocar o time entre os quatro melhores do Grupo 2. Os dois clubes ainda não definiram quem serão seus novos treinadores. No Mirassol, Ivan Baitello deu lugar a Luís Carlos Martins, que até a semana passada dirigiu o Marília, na Série A-1.Além disso, uma denúncia de escalação irregular do meia-atacante Jonhson pode fazer o Juventus perder seis pontos, após a tumultuada vitória, por 4 a 2, sobre o Nacional. Ele se transferiu do América na semana passada, onde tinha sido expulso na vitória, de 1 a 0, sobre o Guarani. Teria, portanto, que cumprir a suspensão automática. É o que alega a direção do time da Barra Funda que também enviou uma fita à Federação Paulista de Futebol (FPF) para protestar contra a arbitragem de Rodrigo Guarizo Ferreir a do Amaral.Um outro caso inusitado e que quase terminou em tragédia aconteceu em Franca, domingo à noite. O volante Evandro, que estaria embriagado, ameaçou com uma faca o atacante Dalmo durante uma briga nos alojamentos da Casa do Atleta, alugada pelo clube. A polícia foi acionada mas não apareceu e a briga só terminou com a intervenção dos outros jogadores. Evandro acabou demitido e Dalmo passa bem. Quem está mal é a Francana, lanterna do Grupo 1, com apenas seis pontos, e forte candidata ao rebaixamento para a Série A-3.

Agencia Estado,

11 de abril de 2005 | 18h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.