Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

'Mudei, mas continuo sendo o Neymar de antes', diz jovem craque do Santos

Atacante concede a primeira entrevista coletiva desde setembro e foge dos assuntos mais polêmicos

SANCHES FILHO, Agência Estado

21 de outubro de 2010 | 20h10

Sem o penteado estilo moicano e preocupado em procurar um brinco de brilhante que perdeu durante o treino, Neymar se mostrou um pouco mais solto na coletiva de imprensa, nesta sexta-feira, na sala de entrevistas do CT Rei Pelé, mas fugiu dos assuntos mais polêmicos e entrou em contradição ao falar sobre a sua mudança de comportamento. "Mudei, mas continuo sendo o Neymar de antes. Brincalhão e amigos de todos", afirmou. A última vez que atendeu os jornalistas foi no dia 7 de setembro.

Veja também:

linkMartelotte testa Keirrison em trio ofensivo

linkMarcel já negocia renovação de contrato

Neymar afirmou estar satisfeito por ter recebido, até esta quinta, 80% das indicações, pela internet, para usar a camisa com o número 70 nas costas, na homenagem do Santos pelo 70.º aniversário de Pelé. "Fico feliz por estar vencendo essa pesquisa e vou participar dessa homenagem a Pelé com orgulho", disse o atacante. Ao ser questionado sobre o que ele pode aprender com o eterno camisa 10, respondeu que não viu o Rei do futebol jogar, mas que assiste a vídeos e imagens dele e que procura tirar lição em tudo que ele faz. "O que eu procuro aprender com Pelé é principalmente a humildade que dizem que Pelé tem".

A entrevista de Neymar foi acompanha atentamente por Eduardo Musa, um dos integrantes do departamento de marketing do Santos. Desde o episódio em que o ele xingou Dorival Júnior e alguns companheiros de time, no jogo contra o Atlético Goianiense, no dia 15 do mês passado, e provocou a queda do treinador, o clube chamou para si a responsabilidade de administrar a carreira do seu jogador mais importante.

Uma das providências da direção foi contratar um psicólogo para mudar a cabeça do garoto rebelde e orientar seus familiares. Ele riu ao ser perguntado sobre as sessões com o psicólogo. "Ele tem ajudado bastante, mas faz um tempo que não vou. Dei umas pedaladas nele".

Neymar também tem sido orientado em como se comportar nas coletivas de imprensa e tendo sessões de fonoaudiologia para aprender a se expressar com clareza. Os avanços são quase imperceptíveis. Porém, ao contrário das entrevistas anteriores, não se irritou a falar sobre os incidentes com Dorival Júnior. Apenas procurou desconversar. "Isso já foi bem esclarecido. Já falei tudo. Tudo o que tenho para falar é que já é passado. Agora, é olhar para frente".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos FCNeymar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.