'Muito feliz', Cristiano Ronaldo contém euforia ao mirar vaga e ponta do Grupo B

'Muito feliz', Cristiano Ronaldo contém euforia ao mirar vaga e ponta do Grupo B

Atacante marcou o gol da vitória de Portugal sobre o Marrocos por 1 a 0

Glauco de Pierri, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

20 Junho 2018 | 12h22

Cristiano Ronaldo chegou correndo e saiu quase "voado" da sala de entrevistas coletivas do estádio Luzhniki, em Moscou. Eleito o melhor jogador em campo pela Fifa na vitória de sua seleção, Portugal, sobre Marrocos, por 1 a 0, o astro do Real Madrid respondeu duas perguntas feitas pela assessoria de imprensa da entidade que comanda o futebol mundial e foi embora. Sempre sorrindo muito.

+ Cristiano Ronaldo assume artilharia da Copa e Portugal elimina Marrocos

+ TEMPO REAL: Portugal 1 x 0 Marrocos

"Estou muito feliz. Ganhamos um jogo importante. E eu ajudei Portugal a conquistar os três pontos. Estou muito contente por ter ajudado meus companheiros, o meu país", disse o jogador pouco depois do final do jogo desta quarta-feira.

Em relação à sequência da Copa do Mundo, Cristiano mantém os pés no chão mesmo com seu início arrasador, de quatro gols em dois jogos. "A expectativa é continuar o trabalho. Precisamos passar da fase de grupos e depois ver o que é que vai acontecer. Vamos trabalhar jogo a jogo. Queremos tentar terminar em primeiro lugar no grupo. Vamos tentar ganhar o nosso terceiro jogo, contra o Irã, e depois vermos o que acontece", finalizou o astro do Real Madrid, se referindo ao confronto marcado para a próxima segunda-feira, às 15 horas, em Saransk.

Após ter empatado por 3 a 3 com a Espanha na estreia, na última sexta-feira, quando Cristiano Ronaldo brilhou com três gols, Portugal passou a contabilizar quatro pontos no Grupo B, cuja segunda rodada será completada ainda nesta quarta com a partida entre espanhóis e iranianos, às 15 horas (de Brasília), em Kazan. Os iranianos somam três pontos depois de terem estreado com uma vitória por 1 a 0 sobre os marroquinos.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.