Mulher é presa no cativeiro de dona Inês

A mãe do jogador Rogério - que atua no Sporting em Portugal - Inês Fedelis Régis, de 57 anos, foi encontrada hoje em um cativeiro em Caraguatatuba, no Litoral Norte Paulista. O caso foi esclarecido pela Delegacia Anti Seqüestro de Campinas, cidade onde a vítima foi seqüestrada no último dia 21 de março. Uma casa simples do bairro Casa Branca, na periferia do município, serviu de cativeiro durante os três dias. Ao chegar na casa a polícia se deparou com um casal, que tomava conta do cativeiro. Houve uma troca de tiros e o homem conseguiu escapar. Uma mulher, identificada apenas pelo nome de Roberta, de 19 anos, foi presa em flagrante. Ela e o namorado - que conseguiu fugir - estavam escalados pela quadrilha para tomar conta da mãe de Rogério. De acordo com o delegado Edson Jorge Aidar outras pessoas estão envolvidas no seqüestro. "Ainda estamos investigando muita coisa". Há suspeita de que a mesma quadrilha esteja seqüestrando as mães de jogador. Com o caso de Rogério, quatro mães de jogadores foram seqüestradas nos últimos meses. A mãe do jogador foi levada da própria casa, em Campinas, na última segunda-feira. Hoje à tarde, ao chegar na delegacia de polícia de Caraguatatuba, ela estava aliviada com o fim do seqüestro. "Ainda não consegui falar com o Rogério. Falei com minha outra filha que estava mais apavorada que eu". Rapidamente, enquanto descia do carro, Inês revelou que foi bem tratada no cativeiro, apesar do medo. "Estar numa situação como esta é a pior coisa que há na vida. Fui bem tratada esses dias". A mãe do jogador também agradeceu a polícia em público. Trinta e três policiais do Litoral Norte e de Campinas estavam envolvidos na operação junto à Delegacia Anti Seqüestro na busca do namorado de Roberta, que também tomava conta do cativeiro mas conseguiu fugir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.