Muller sabe amanhã se enfrenta o Palmeiras

A estréia do atacante Müller pode ser a maior novidade da Portuguesa para enfrentar o Palmeiras, sábado à tarde, no Palestra Itália. O jogador, contratado há uma semana, vem treinando para recuperar o condicionamento físico, e se participar do coletivo desta quinta-feira à tarde, no CT do Parque Ecológico, garante sua escalação diante do Palmeiras. "Ainda não entrei no ritmo ideal, mas isso só vai acontecer quando eu começar a jogar", disse. Müller estava há três meses parado, depois de disputar o Campeonato Mineiro pelo Tupi. Chegou ao Canindé quatro quilos acima do peso, mas demonstrou ao técnico Luís Carlos Martins sua disposição para entrar no time o quanto antes. "Ele treinou até no final de semana. Está se dedicando, e com muita vontade de nos ajudar", disse o treinador. "Se for titular, não deve suportar os 90 minutos. Mas temos de entender que é um ser humano e também tem limitações." Além da disposição pessoal, outro fator deve pesar para a escalação de Müller: a falta de opções no elenco. Com a venda de Alex Alves para o Cruzeiro, Martins perdeu seu principal atacante. As principais alternativas para a posição são André Luís e Danilo. Contra o primeiro, pesa o fato de o treinador preferí-lo como opção para o segundo tempo. Danilo, que não jogou bem na derrota por 2 a 1 para o Mogi, também deverá ficar no banco de reservas. O medo do treinador é de "queimar" o atleta, de apenas 19 anos. "O jogo contra o Palmeiras é um clássico, mesmo com as equipes na Série B", disse Martins, que não acredita em maior facilidade, devido aos jogos do Palmeiras serem constantemente transmitidos pela televisão. "Muitas das nossas partidas também foram exibidas. Nós conhecemos bem o adversário, assim como eles nos conhecem, também." Até agora, nove dos 15 jogos da Lusa na Série B foram transmitidos pelo SporTV ou no pay-per-view. Diante do Palmeiras, o treinador deverá escalar um esquema mais cauteloso, com a entrada do volante Rodrigo Costa. O jogador, que tem como característica principal a marcação, liberaria o meia Ricardo Lopes para atuar ao lado de Sérgio Manoel na criação das jogadas. No ataque, Müller deverá ser o pivô, para fazer tabelas com Marcos Denner. Quem deve perder o lugar no time é o meia Nem, que vem caindo de produção e foi substituído no intervalo, nas duas últimas partidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.