Divulgação/Ponte Preta
Divulgação/Ponte Preta

Multado por quebrar protocolo contra covid-19, Yuri, da Ponte Preta, terá de doar cestas básicas

Clube muda punição: em vez de multa, lateral-esquerdo terá de contribuir com a campanha Campinas Sem Fome

Redação, Estadão Conteúdo

29 de março de 2021 | 13h58

A Ponte Preta resolveu fazer uma ação com o valor da multa do lateral Yuri. Punido pela diretoria da equipe campineira por quebrar os protocolos de saúde em combate ao novo coronavírus, o jogador precisou arcar com um valor, cujo montante não foi divulgado, que acabou sendo convertido em cestas básicas para a campanha Campinas Sem Fome.

A ação é para ajudar as pessoas mais vulneráveis durante a pandemia da covid-19. Com a ajuda da Ponte Preta, devido à multa de Yuri, a campanha arrecadou 140 cestas básicas. A prefeitura ainda fará uma doação, no estilo drive-thru, nos dias 10 e 11 de abril. Outros postos de arrecadação estão distribuídos pela cidade campineira.

Yuri foi multado por fazer um evento com amigos e familiares. A quebra dos protocolos, além de gerar risco à sua mulher grávida, causou mal-estar dentro da própria Ponte Preta, que viveu recentemente um surto de covid-19, tendo quase todo o elenco contaminado.

O atleta foi sentir os primeiros sintomas da covid-19 horas antes do jogo contra o Botafogo, no dia 13 de março, vencido pela equipe alvinegra por 1 a 0. O jogador foi rapidamente afastado, mas fez parte da delegação que viajou para Ribeirão Preto. Os demais jogadores tiveram as primeiras reações apenas após o duelo. Na primeira testagem, após o jogo, 12 funcionários testaram positivo para covid-19, entre atletas, comissão técnica e outros. A Ponte, desde o começo da pandemia, apresentou 32 casos.

Não se sabe se Yuri foi o transmissor, mas o atleta acabou sendo multado pela diretoria por falhar com os protocolos. Depois de tanto tempo, enfim, a Ponte Preta começará uma semana sem casos da doença.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.