Mundial de Clubes: Conmebol diz não

A proposta da Fifa de realizar a segunda edição do Mundial de Clubes no final de 2005 em Tóquio, com os seis campeões continentais, encontrou uma forte oposição da Conmebol - a confederação sul-americana de futebol. Pela proposta, a nova competição substituiria a Copa Intercontinental - disputada entre os campeões da América do Sul e da Europa desde o início dos anos 60. Em uma carta encaminhada nesta sexta-feira ao presidente da Uefa, Lennart Johansson, o presidente da Conmebol, Nicolas Leoz, disse que a não abre mão da Copa Intercontinental - que desde os anos 80 vem sendo disputada no Japão."Nós não estamos dispostos a negociar a Copa Intercontinetal. Não queremos negociar, nem ampliar?, disse o dirigente no comunicado ao colega europeu. ?Nós sempre defendemos essa competição, que vem sendo disputada ininterruptamente desde os anos 60 e cada vez com maior sucesso?, acrescentou Leoz.Na quinta-feira, a Fifa anunciou o novo formato do Mundial de Clubes. O torneio deverá contar com a participação de seis clubes, os campeões de cada confederação - Uefa, Conmebol, Concacaf, África, Ásia e Oceania. Serão sete partidas em oito dias e os representantes da América do Sul e Europa terão privilégios: vão entrar apenas na semifinal.Elaborado para as edições de 2005 e 2006, o novo formato ainda precisa ser referendado pelo Comitê Executivo da Fifa, em reunião no dia 29 de fevereiro. A primeira edição edição do Mundial aconteceu em 2000 e o Corinthians foi o campeão. Apesar disso, o time paulista não tem vaga assegurada. Se quiser participar, terá de ganhar a Libertadores do ano que vem. Para isso, precisa vencer a Copa do Brasil ou o Campeonato Brasileiro deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.