Mundial é o objetivo do Cruzeiro em 2004

A trajetória impecável no ano de 2003 impulsiona o Cruzeiro a projetar conquistas ainda mais significativas na próxima temporada. Inevitavelmente, a luta pelo terceiro título da Taça Libertadores e a conseqüente disputa da Copa Intercontinental no Japão tornaram-se a prioridade do clube mineiro em 2004. E todo esforço será feito nesse sentido, observa o presidente Alvimar de Oliveira Costa. "Sem dúvida nenhuma agora o nosso objetivo principal passa a ser o Mundial, um título que nós estivemos perto de conquistar duas vezes, mas não tivemos sucesso", disse nesta segunda-feira o dirigente, se referindo às derrotas em 1976, para o Bayern Munique, e 1997, para o Borussia Dortmund, ambas equipes alemãs. "É o único título que nos falta. Nós sabemos que a Libertadores é uma competição muito mais difícil, mas o Mundial hoje é o título mais cobiçado. A expectativa dos nossos torcedores é que o Cruzeiro esteja em 2004 no mesmo nível ou melhor do que este ano. O nosso grau de cobrança vai ser muito maior", espera Alvimar. Na mesma linha, o técnico Vanderlei Luxemburgo declarou após a goleada por 7 a 0 sobre o Bahia - coroando a inédita conquista do Campeoanto Brasileiro com marcas centenárias (100 pontos e 102 gols) -, em Salvador, domingo, que para a disputa das competições de 2004, o Cruzeiro precisa de um "up grade", além de "melhorar e muito". "O que fizemos esse ano só prestou para esse ano", destacou o treinador. "Não adianta você ganhar o Campeonato Brasileiro e de repente achar que está tudo bom. Para o ano que vem a história pode ser outra se você não melhorar, porque você passa a ter uma visibilidade muito grande e as pessoas estão todas atentas para o que está acontecendo." Base - Segundo Luxemburgo, o planejamento para 2004 já foi fechado e Alvimar adianta que ele foi montado priorizando a disputa da competição sul-americana no primeiro semestre. De imediato, o clube pretende manter a base do grupo que levou para a Toca da Raposa os títulos do Mineiro, da Copa do Brasil e o Brasileiro, para depois tentar anunciar novas contratações. A diretoria acredita que nos próximos dias poderá anunciar a permanência de alguns dos campeões brasileiros cujos contratos expiram no final do ano. Mas os esforços continuam concentrados na renovação, por pelo menos mais seis meses, do contrato do meia Alex, que já manifestou o interesse em jogar na Europa e informou que tem propostas do exterior. De acordo com o presidente do Cruzeiro, o empresário do jogador, Juan Figger, deverá se reunir com a diretoria do Cruzeiro ainda nesta semana. "Devemos falar com ele até na quarta-feira e esperamos definir a situação." S.A. - Fora de campo, os dirigentes mineiros esperam dar no ano que vem o pontapé inicial para a construção de seu estádio, com custo estimado em R$ 70 milhões. Para captar parcerias e viabilizar tal investimento, a diretoria aposta na adequação do Departamento de Futebol à Lei Pelé e ao novo Código Civil Brasileiro. Na semana passada, o Conselho Deliberativo do clube aprovou por aclamação a incorporação do futebol profissional e das categorias de base pela Cruzeiro Esporte Clube S.A.. Pela decisão dos conselheiros, uma associação irá gerir a parte social do clube e terá 51% do capital acionário da S.A. De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, Gilvan Pinho Tavares, torcedores e empresas poderão se tornar acionistas do clube. Ele explica que, dependendo do interesse, há a possibilidade de o Cruzeiro, inclusive, lançar ações na bolsa de valores. "O mais importante, no entanto, é que com a adequação à Lei Pelé, o clube passa a estar apto a viabilizar financiamentos para a construção do estádio, até por meio do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social)", observa Tavares. Leão -Depois do desabafo de Luxemburgo, que no vestiário da Fonte Nova exigiu respeito do técnico do Santos, Émerson Leão - que teria insinuado que o Cruzeiro só chegou ao título brasileiro graças à ajuda das arbitragens -, o presidente do clube mineiro disse nesta segunda-feira que ainda aguarda uma posição de seu Departamento Jurídico para decidir se interpela ou não o treinador do time santista na Justiça. "Ele (Leão) foi muito deselegante, muito infeliz", voltou a reclamar Alvimar. Livro - Duas semanas após o título nacional, o sociólogo Jorge Santana lança nesta segunda-feira à noite o livro Páginas Heróicas - Onde a Imagem do Cruzeiro Resplandece, edição referente à história celeste na coleção Camisa 13 (Editora DBA), que reúne livros sobre os maiores clubes de futebol do País. A obra possui 200 páginas e foi incluído um capítulo sobre a conquista da "Tríplice Coroa" em 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.