Muñoz: boa fase e discurso humilde

Mesmo tendo participado diretamente de cinco dos noves gols que o Palmeiras marcou em Teresina (quatro no Bahia, um no Vasco, e quatro no amistoso contra o River), o atacante Muñoz não é titular do Palmeiras na Copa dos Campeões. Mesmo assim, nitidamente medindo as palavras, o colombiano preferiu falar nesta sexta em nome do grupo. Em nenhum momento contestou sua condição de reserva aos jornalistas que o procuraram, mas citou que o que vem fazendo pelo time nas últimas partidas poderá reverter o quadro brevemente."Acho que vocês poderiam perguntar ao Vanderlei o motivo pelo qual não sou titular. Eu sinceramente não sei dizer o que falta, mas é provável que realmente esteja faltando alguma coisa".Luxemburgo não gosta de responder perguntas sobre suas opções.Normalmente, sai com a tradicional frase "quem escala o time aqui sou eu". Após a partida de quarta-feira contra o Vasco, em que Muñoz entrou no lugar de Itamar e marcou o gol do Palmeiras, o treinador acabou admitindo que a presença do colombiano tornou a equipe mais veloz. "O Itamar esteve um pouco preso, mas isso não é motivo para que eu altere o time para o jogo contra o Atlético-MG (domingo)".O colombiano é um dos mais calados do grupo. No entanto, nesta sexta confessou que a reserva incomoda os jogadores que têm um objetivo a alcançar. "O problema é que eu não posso contestar decisões superiores. Penso sempre que se o grupo estiver bem, eu estarei bem da mesma forma. Talvez o Luxemburgo ache melhor me usar como uma arma apenas para o segundo tempo pela minha velocidade".Boa casa - Mesmo enfrentando um calor diário de quase 40 graus, os jogadores do Palmeiras não querem deixar Teresina. Desejam vencer o Atlético-MG, domingo, às 18h15, resultado que garantiria a primeira colocação do Grupo D e a permanência na cidade para a fase de quartas-de-final. Mas a equipe também garante uma das duas vagas da chave mesmo que perca para o Atlético, desde que por dois gols ou menos de diferença."Não queremos jogar pelo resultado porque o ideal é ficar aqui. Se terminarmos em segundo iremos para Belém, onde o calor também é muito forte. Em Teresina já conhecemos o gramado do Albertão e temos o carinho do torcedor local", disse o lateral Arce, que está pendurado com dois cartões amarelos.O zagueiro César faz suas as palavras de Arce. E lembrou que o Atlético, mesmo com apenas um ponto ganho, ainda tem chances de conquistar uma das vagas. "A gente conversa com o grupo e sempre fala que cada um sabe de suas obrigações. Domingo não pode haver acomodação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.