Muñoz ganha espaço no Palmeiras

Dario Muñoz, o colombiano do Palmeiras, de 24 anos, revelou há algumas semanas morrer de medo da cidade de São Paulo. "Não saio na rua, é perigoso", justificou. Mas engana-se quem pensa que o baixinho é sempre medroso. A maior prova disso ele deu na quarta-feira, na decisão por pênaltis contra o Boca Juniors, pela Copa Libertadores da América. Cobrou o seu com categoria, no meio do gol, sem força, à moda Djalminha e Marcelinho, mesmo sabendo que o risco de o goleiro defender era grande. Calou o Palestra Itália lotado, assustou os torcedores, mas fez o gol."É diferente, dentro de campo sou corajoso. Jogador de futebol só sobrevive se arriscar a vida", explicou o colombiano. Após o lance, o goleiro do Boca, Córdoba, saiu na direção de Muñoz, reclamou e chegou a falar palavrões. "Ele não gostou e me xingou, achou que queria humilhá-lo. Mas eu sabia que ele pularia para um dos cantos e por isso fiz aquilo."Natural de Medellín, o extrovertido atacante do Palmeiras está, aos poucos, ganhando o espaço que acredita merecer. Foi bem sempre que entrou e agora não quer mais sair. "Mostrei ao treinador que posso ser titular." O técnico Celso Roth o elogiou bastante e deixou claro que Muñoz tem boas chances de entrar no time. "Além de ser um bom finalizador, ele amadureceu muito taticamente."O passe de Muñoz, emprestado ao Palmeiras até o fim de 2001, pertence ao Nacional de Medellín e está avaliado em US$ 3,5 milhões. O jogador, que chegou ao clube em fevereiro, gostou do ambiente e quer ficar. A primeira meta, porém, é de defender a seleção colombiana na Copa América, em seu país. "A imprensa diz que tenho boas chances de ser convocado."Em férias, como todo a equipe palmeirense, Muñoz já foi para Medellín. Estava morrendo de saudade de Lucero, a jovem de 15 anos que é sua namorada desde o início de 2000.Futuro - A diretoria deve encontrar-se nesta segunda-feira, no Palestra Itália, para voltar a discutir a contratação de reforços. O primeiro que pode chegar é Robert, do Santos. Os dirigentes dos dois clubes estão negociando. Os santistas querem Tuta e Claudecir ou Flávio para ceder Robert. O presidente Mustafá Contursi já adiantou, porém, que não haverá nenhuma contratação de impacto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.