Muñoz vai se tratar na Colômbia

Muñoz perdeu a paciência com os médicos do Palmeiras. Após 10 meses de calvário, lutando para se recuperar de uma cirurgia no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, o atacante concluiu que deveria ouvir uma segunda opinião. E resolveu pedir socorro a um médico de sua confiança, colombiano como ele.Nesta sexta-feira, o atacante viaja para Bogotá. E, na próxima quinta, deve se submeter a uma artroscopia diagnóstica, que vai apontar o que deu errado em sua cirurgia, feita pelo especialista Gilberto Camanho, em julho do ano passado. Muñoz desconfia de que houve erro médico, mas não fez nenhum tipo de acusação ao médico que o operou e nem ao departamento médico do Palmeiras."Ainda não sei se houve algum erro médico. Hoje, acho que não foi. Prefiro pensar que é algo em meu corpo que não reagiu bem. Só o que eu sei é que a cirurgia teve algumas complicações e eu não consegui me recuperar. Aí, após 10 meses tentando me recuperar, optei por me submeter a uma artroscopia diagnóstica no médico de minha confiança, no meu país", disse Muñoz, em entrevista coletiva nesta quinta-feira.Muñoz tem a expectativa de voltar aos gramados em dois ou três meses. "Essa é só uma idéia. O tempo de recuperação vai depender do resultado da artroscopia", revelou.Não passa pela cabeça de Muñoz a hipótese de uma aposentadoria precoce. O jogador resolveu dar um basta no seu sofrimento. Nesses 10 meses de convalescença, o atacante colombiano desprezou até as festas de fim de ano com a família. "Nem no Natal e no Ano Novo parei com o tratamento. Fiquei aqui no Brasil, longe da família, treinando na piscina. E o pior é que todo esse sacrifício não adiantou nada. Garanto, porém, que não vou desanimar. Ainda quero voltar a dar muitas alegrias ao Palmeiras".O problema de Muñoz se agravou na parte final de sua recuperação. Ele não consegue correr em ziguezague, não salta e não alcança velocidade. Seu contrato com o Palmeiras vai até dezembro de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.