André Fabiano/Código19/Estadão Conteúdo
André Fabiano/Código19/Estadão Conteúdo

Muralha assume responsabilidade por pênaltis e lamenta fase no Fla: 'É sofrido'

Jogador foi bastante questionado nos pênaltis por ter escolhido mesmo canto nas cobranças, sem pegar nenhuma

Estadao Conteúdo

29 de setembro de 2017 | 20h25

Criticado e em baixa nos últimos meses, o goleiro do Flamengo Alex Muralha voltou a ficar sob os holofotes na final da Copa do Brasil. De terceira opção a titular pelos desfalques de Diego Alves e Thiago, o jogador ajudou o time a segurar o empate por 0 a 0 diante do Cruzeiro, quarta-feira, em Belo Horizonte, mas foi bastante questionado nos pênaltis por ter escolhido o mesmo canto nas cinco cobranças e não ter defendido nenhuma.

+ Carille exibe confiança e alivia pressão sobre Kazim no Corinthians

+ Levir não vê clássico com Palmeiras decisivo em objetivo do Santos no Brasileirão

+ Perto de 150 jogos pelo Palmeiras, Dudu confia em retrospecto no clássico

"A decisão foi minha. Se eu ficasse pulando para os dois cantos ou ficasse parado no meio e não tivesse pegado nenhum pênalti, ia estar esta mesma cobrança, da mesma forma. Uma coisa era certa: a gente teria que ser campeão para que tudo mudasse. Infelizmente, não fomos. Mas tenho certeza de que coisas grandes virão. Estamos aprendendo muito este ano e cada vez ficamos mais forte e unidos", disse em entrevista ao SporTV nesta sexta-feira.

Apesar de minimizar as críticas por sua performance na disputa de penalidades da quarta-feira, que culminou no vice-campeonato do Flamengo, Muralha admitiu a necessidade de evoluir no fundamento. Afinal, desde que chegou ao clube, o goleiro defendeu apenas uma cobrança de pênalti em 22 tentativas.

"Em todos os pontos preciso evoluir, mas em penalidades também. Preciso trabalhar mais, me esforçar. Tudo é momento. Creio que uma hora vai passar e vou poder mostrar também que sei pegar penalidades. Quando eu comecei a carreira, era uma das coisas que eu melhor fazia. Até por isso, ganhei esse apelido de 'Muralha'. Enfim, é sofrido, mas é passageiro", considerou.

Muralha só se emocionou ao comentar os efeitos que a pressão que está sofrendo vêm causando. Excessivamente criticado por torcedores e até pela imprensa, o goleiro se mostrou abatido e lamentou que até sua família esteja arcando com as consequências. Afinal, sua mãe admitiu, em entrevista à TV Globo, estar tomando remédios para dormir em meio ao momento turbulento atravessado pelo filho.

"Não sabia que ela tinha ido ao médico e tomado remédio para dormir. Minha família é muito simples, fomos criados na roça, e chegar onde eu cheguei hoje é algo muito grande. Fico feliz por isso, porque morávamos em casa de pau a pique. Então, ver aquela cena me tocou muito. É complicado ver uma pessoa que desde sempre te deu tudo e está sofrendo porque você está sofrendo", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolfutebolFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.