?Muralha? corintiana para frear Lusa

Após cinco rodadas disputadas no Torneio Rio-São Paulo, o Corinthians já alcançou o primeiro objetivo: contar com a defesa menos vazada da competição, que vai servir de suporte para a equipe já no clássico contra a Portuguesa, neste domingo, às 16 horas, no Canindé. "Desde o ano passado que a gente anda tomando gols muito bobos", admitiu o zagueiro Schedit. "Parreira está trabalhando bem esse lado da equipe, e o resultado está aparecendo."Diante desse retrospecto, o Corinthians pretende anular a dupla de atacantes adversária formada por Ricardo de Oliveira e Sinval. "São dois excelentes jogadores", analisou Parreira. "Ricardo Oliveira cresce a cada jogo e Sinval é um atacante experiente."Para ajudar o Corinthians a fomar um "paredão" diante do ataque da Lusa, o treinador contará com a volta do goleiro Dida, que estava machucado. O atacante Luizão continua fora, por isso novamente vai desfalcar a equipe.Parreira ainda tem uma dúvida no meio-de-campo. Entra Fabinho ou Renato. O treinador só vai definir o time pouco antes da partida. "Com Fabinho o time ganha na marcação, mas perde um pouco no ataque. Com o Renato a situação é inversa. "Tenho de analisar qual a melhor estratégia para começar o jogo", explicou o técnico.Parreira ressaltou que o Corinthians está crescendo de produção. A classificação para a segunda fase da Copa do Brasil em cima do River, do Piauí, foi, na sua opinião, uma prova da ascensão da equipe. "Sabia que o River seria mesmo um adversário difícil, porque entraria motivado com a possibilidade de se apresentar para todo o País, pela televisão. Mas o Corinthians jogou para alcançar a classificação", afirmou o treinador, que agora conta com a vitória diante da Portuguesa."Estamos em uma posição intermediária na classificação do Rio-São Paulo e precisamos vencer para subir", disse. "Mas a Portuguesa está bem. É um adversário que disputa os clássicos em condição de igualdade", ressaltou o treinador, que ganhou um reforço para a equipe com a contratação do meia-atacante Fumagalli, que estava no Guarani.O atacante Gil reconheceu que não foi bem nas últimas partidas e vai tentar agora reagir diante da Portuguesa. O jogador afirmou que a queda de rendimento não ocorreu por não ter recebido um aumento de salário. "Não tem nada a ver com isso. Eu sei que a diretoria vai reconhecer meu valor", disse Gil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.