Muricy admite atuação ruim, mas exalta superação

Nem havia como o técnico Muricy Ramalho negar que o São Paulo não jogou bem para vencer o Atlético Nacional, da Colômbia, quarta à noite, no Morumbi. A equipe falhou defensivamente, levou pressão, mas chegou ao triunfo por 3 a 2 na bola parada - o gol decisivo saiu da cabeça de Antônio Carlos, aos 46 minutos do segundo tempo. Apesar de admitir a atuação ruim, o treinador viu qualidades na equipe, principalmente pela dedicação.

AE, Agência Estado

31 de outubro de 2013 | 08h40

"Foi um jogo duro, a gente não fez uma grande partida. Mas estamos mostrando uma coisa que é difícil de acontecer, que é a superação a todo momento. O time não se entrega. O time está no caminho certo. Quem sabe, a gente possa passar mais essa fase? A vantagem não é grande, mas é uma vantagem", avaliou o treinador.

Mais uma vez, durante e após o jogo, a equipe ouviu das arquibancadas o grito de "time de guerreiros" e, na ausência de uma técnica pouco mais refinada, voltou a justificar o novo rótulo. Em boa sequência, o São Paulo venceu seus últimos cinco jogos. Em oito partidas, conquistou sete vitórias e um empate.

"Estamos conseguindo as vitórias. E sete vitórias em oito jogos não é fácil", comentou Muricy, que sabe que a equipe terá que se superar no jogo de volta, quarta-feira que vem. "As viagens são duras. Contra o Universidad Católica, empatamos em casa. Lá (na Colômbia), o time vai ter de se expor um pouco mais. Aqui, eles jogaram no nosso erro. Até tomarmos o gol, não me lembro de nenhuma defesa do Rogério."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.