Muricy admite que Dudu era prioridade para o São Paulo, mas elogia Cafu

Sem Dudu, que foi para o Palmeiras, o São Paulo agiu rápido e contratou Cafu para suprir a necessidade de um jogador de velocidade no ataque. Mas Muricy Ramalho admitiu que a prioridade do clube era mesmo Dudu, que fechou com o rival por R$ 350 mil mensais de salário, valor muito superior ao que receberia no Morumbi.

FERNANDO FARO, Estadão Conteúdo

16 de janeiro de 2015 | 15h46

Apesar de reconhecer que Cafu não era o primeiro da lista de desejos, o treinador fez uma boa avaliação do reforço e ressaltou o poder de evolução do atacante, que assinou por três anos com o São Paulo.

"O jogador que indicamos era o Dudu, não podemos fugir da verdade. No fim do ano indicamos o Dudu, mas não veio pela parte financeira. Não vindo o jogador, temos que procurar dentro da realidade do clube e (o Cafu) é um jogador novo, de velocidade e de futuro", analisou Muricy.

Com a provável saída de Osvaldo para o futebol árabe, o São Paulo segue ainda à caça de pelo menos mais um jogador que atue pelas beiradas do campo. O pedido de Muricy é para mudar a forma de jogar da equipe em determinadas situações. O clube procura na América do Sul por achar que o mercado brasileiro oferece poucas opções.

Sobre Osvaldo, Muricy mais uma vez afirmou que não irá se opor à negociação. "Se for bom para o jogador e para o clube, é uma situação que deixa todos felizes", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCMuricy Ramalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.