José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Muricy afirma que São Paulo recuperou o moral com goleadas

Técnico destaca vitórias por 4 a 0 sobre Osasco Audax e Danubio para ajudar time a reagir e sonhar em avançar na Copa Libertadores

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

26 de fevereiro de 2015 | 13h04

Duas vitórias por 4 a 0, a últimas delas em uma partida válida pela Copa Libertadores, nesta quarta-feira, resgataram o São Paulo de uma crise. O técnico Muricy Ramalho disse após a goleada sobre o Danubio que a atuação desastrosa diante do Corinthians, na estreia pelo torneio continental, ficou para trás e que o elenco são-paulino passa a viver uma nova fase depois de resultados convincentes.

"O importante é que a gente mantém os nossos jogadores muito focados no que estão fazendo. Na Libertadores perdemos um jogo só e foi na casa do adversário, que é um grande time", comentou o treinador. Para Muricy, etapa importante no processo de recuperação aconteceu no último sábado, quando a equipe bateu o Audax pelo Campeonato Paulista com os titulares em campo. 

A ideia inicial do técnico era colocar os reservas para o confronto, mas devido à vergonhosa derrota para o rival, precisou mudar de ideia. "Tinha que colocar os titulares para recuperar o moral deles. Eles foram para campo, jogaram bem e ganharam bem. O importante é que a gente continua ganhando", destacou. As duas vitórias colocaram o São Paulo na liderança provisória em seus grupos na Libertadores e no Campeonato Paulista.

O fracasso contra o Corinthians fez o São Paulo ter dias de reuniões para buscar evoluir e a performance do time no jogo virou uma espécie de exemplo a ser evitado. "Não dá para jogar daquele jeito que fizemos. Foi muito pouco e todos nós ficamos cientes disso. Então os jogadores não se apegaram em nada, a nenhuma desculpa, e trabalhamos para reagir", disse Muricy.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.