Muricy aposta nos jovens do Inter

A largada promissora do Internacional no Campeonato Brasileiro mostra que a fórmula de lançar pratas-da-casa e adequar o esquema tático à disponibilidade de jogadores tem dado certo. A torcida já esqueceu a sofrível campanha do ano passado, quando o time só escapou do rebaixamento na última rodada, e sonha com a volta aos dias gloriosos de Figueroa, Falcão, Carpegiani e Valdomiro. O técnico Muricy Ramalho não entra no clima de euforia. Mas revela sua esperança, ao lembrar que o Santos não começou entre os favoritos em 2002 e se tornou campeão com um time de jovens. Realista, Muricy admite que o clube precisa de mais jogadores, especialmente um zagueiro e um armador capaz de cadenciar o jogo e distribuir a bola com precisão. Mas não pede reforços publicamente. ?Eu adapto o esquema aos recursos que tenho." É por isso que o Internacional tem jogado com o armador Gavilán na função de ala-direito e usa três atacantes. O maior mérito de Muricy no comando do Internacional tem sido a coragem de lançar as jovens promessas nos juniores, como os atacantes Diego e Nilmar, ou que passaram 2002 entrando e saindo do time, como o armador Cleiton Xavier e o atacante Daniel Carvalho. São jogadores que ganharam a confiança da torcida por alguns momentos que fazem a diferença de 2003 para 2002. Ainda no Campeonato Gaúcho, Diego desmontou a defesa do Grêmio na segunda vitória do time contra o maior rival neste ano, depois de três anos de jejum. Antes disso, Daniel Carvalho havia feito o gol da virada na primeira vitória do ano sobre o Tricolor. Nilmar entrou no segundo tempo no sábado para marcar o segundo gol da vitória por 2 a 0 sobre o Bahia. Como todos os técnicos fazem, Muricy atribui o bom momento, em que o Internacional tem os mesmos sete pontos do Cruzeiro, com duas vitórias e um empate, e só não lidera pelo saldo de gols, ao trabalho em equipe e à ausência de estrelismos entre os jogadores. Precavido, não enche demais a bola de seus pupilos. "Só é craque quem mantém o nível por muito tempo", filosofa. Mas reconhece que as promessas são muito boas. " O futuro é ótimo.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.