Muricy atribui empate à expulsão de zagueiro

Ao contrário da torcida palmeirense, o técnico Muricy Ramalho aprovou a atuação dos seus jogadores no empate por 3 a 3 com o Ituano, neste domingo, no Palestra Itália, pela terceira rodada do Campeonato Paulista. O Palmeiras chegou a estar vencendo por 3 a 1, mas levou dois gols nos minutos finais da partida.

AE, Agencia Estado

24 de janeiro de 2010 | 22h31

O treinador atribuiu o tropeço à expulsão do zagueiro Gualberto, que deixou o campo na metade do segundo tempo. "O placar foi injusto demais. Tivemos muito mais finalizações. Jogamos bem enquanto estávamos com 11 em campo", avaliou.

"O jogo mudou muito depois da expulsão do menino. Mas estou gostando do time, o desenho tático está bom. Já fizemos dez gols em três partidas. Se o jogo tivesse ficado no 11 contra a 11, o placar teria sido dilatado", previu o técnico.

Já os torcedores palmeirenses não pouparam críticas ao time. Ao final do jogo, eles pediram a contratação de reforços e a saída de alguns dirigentes. Dentre os jogadores, o mais vaiado foi o lateral-esquerdo Armero. Os torcedores pediram a saída do colombiano e a entrada de Eduardo ou Gabriel Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.